Sábado, 17 de Janeiro de 2009
por Pedro Vieira

© rabiscos vieira


por Pedro Vieira
link do post | comentar | partilhar

7 comentários:
http://bellaciao.org/fr/spip.php?article78141

deixado a 17/1/09 às 23:37
link | responder a comentário

José Bastos
http://www.youtube.com/watch?v=5oesBeCFAlg

Já ouvi classificar isto como a forma "engenhosa" como o Hamas combate o invasor. É evidente que este, e outros estratagemas "engenhosos", vão acabar por colocar inocentes na linha de fogo.
Não me parece que o Hamas esteja muito procupado com isso.

deixado a 18/1/09 às 07:38
link | responder a comentário

JC
São numerosos os relatos, fotos, vídeos e declarações que mostram que, em Gaza, os terroristas do Hamas circulam e combatem em instalações da ONU e das suas agências com, no mínimo, um fechar de olhos dos responsáveis locais das Nações Unidas, que chega em alguns casos à descarada conivência
Said Siam, o líder do Hamas abatido há dias,chegou a ser professor numa dessas escolas da ONU em Gaza, e pode-se imaginar que tipo de coisas ensinava um homem conhecido pelo seu radicalismo e pela sua crueldade, temido ao ponto de, em 2007, centenas de palestinianos de Gaza terem procurado protecção, fugindo para o território da temida "entidade sionista".

A ONU toma partido todos os dias em Gaza e a sua actuação é o retrato da crescente descredibilização, que infelizmente não pára aqui.

Anteontem esteve reunida a Assembleia Geral das Nações Unidas, numa sessão surreal, convocada à revelia das normas da própria ONU, porque o Presidente de mesma Assembleia assim o quis. M Miguel D’Escotto, um sandinista, um padre vemelho, um homem que ganhou um Prémio Lenine, um capo do totalitarista Daniel Ortega, grande amigo de Chavez, que não hesitou em abraçar efusivamente Amadinejad quando este fez um patético discurso nas Nações Unidas, e saudar desde Manhattan a “revolução” cubana .
Um obcecado antiamericano e um feroz anti-semita que não hesita em verbalizar constantemente o seu ódio a Israel.

Outra agência das Nações Unidas, o Conselho dos Direitos Humanos, (UNHRC) é ainda mais exótica. Criada há menos de 3 anos para substituir a completamente desacreditada Comissão dos Direitos Humanos, que se tinha transformado num fórum anti-semita, não tardou a seguir pelo mesmo caminho. Constituido por uma maioria de estados africanos, muçulmanos e sul-americanos, onde os direitos humanos são uma anedota, não tardou a abolir os Special Rapporteurs para Cuba, Bielorússia e Coreia do Norte, considerando que não há nada de preocupante nos direitos humanos, nesses países.
Em contrapartida criou um Special Rapporteur on Freedom of Expression, cuja missão principal, atribuída pelo grupo islâmico, é exactamente oposta à designação, e consiste basicamente em relatar os abusos da liberdade de expressão em matéria de ofensas à religião, particularmente o Islão.
A lista de proezas do UNHRC fala por si: em menos de 3 anos de existência, pronunciou-se 26 vezes, das quais 21 sobre Israel, como se neste pequeno país, onde existe uma democracia e um estado de direito, os direitos humanos estivessem mais ameaçados do que na generalidade dos países muçulmanos, na América do Sul, na Ásia ou na Africa.
Assim, enquanto Israel merece dezenas de "vigorosas condenações" o Sudão, que tem morto literalmente milhões de pessoas, fica-se com uma única e tímida "preocupação". Cuba, Arábia Saudita, China, Irão, etc, não estão sequer no radar deste organismo, apesar do total desrespeito destes países pelos mais elementares direitos humanos.
É também por estas razões que a ONU é cada vez menos levada a sério. Se um organismo que era suposto ser um repositório de uma certa ética nas relações internacionais, se degrada deste modo, as suas deliberações deslizam inevitavelmente para a irrelevância.
No fundo é a velha história de Pedro e o lobo.

deixado a 18/1/09 às 12:30
link | responder a comentário

Pinto
Ou quando os turras os põem a jeito...

De uma coisa não podem acusar os membros do Hamas: de falta de astúcia e artimanha. E se do outro lado estiverem lorpas, então é “como quem limpa o rabinho a meninos”.

deixado a 18/1/09 às 14:29
link | responder a comentário

A.R.A
JC

Afinal a montanha pariu um rato!

Então agora a ONU é conivente com o Hamas "...um fechar de olhos dos responsáveis locais das Nações Unidas, que chega em alguns casos à descarada conivência..."

Até onde são capazes de ir estas cabecinhas pensadoras?

De facto a razão é algo de muito flexivel e maleavel para gente que a todo o custo tenta legitimar as suas "opinancias" com recurso a tudo menos ao que é obvio, não é JC?

Aquele Abraço
A.R.A

deixado a 18/1/09 às 17:15
link | responder a comentário

Manuel Leão
JC:

Crimes não podem ser invocados como desculpa para outros crimes.

Pôr em pé de igualdade o ocupante com o ocupado, é má fé e intelectualmente desonesto.

deixado a 19/1/09 às 11:43
link | responder a comentário

José Bastos
A.R.A. - Ainda não ouvi um critíca da ONU á forma como o Hamas utiliza as ambulâncias ( da ONU ) como transporte de tropas.
Até lá, quer queira quer não, pode-se falar “…[num] fechar de olhos dos responsáveis locais das Nações Unidas, que chega em alguns casos à descarada conivência…”
Se calhar devemos ainda acreditar que o Hamas se fica por (ab)usar "só" as ambulâncias e as escolas - http://www.youtube.com/watch?v=zmXXUOs27lI
Se isto não é conivência da ONU diga-me, nas suas palavras, o que lhe chama.

deixado a 19/1/09 às 13:11
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador