Terça-feira, 16 de Março de 2010
por Bruno Sena Martins
"Rui Pedro Soares, o antigo administrador da PT, envolvido na polémica tentativa de compra da TVI, recebeu em 2009, 1,533 milhões de euros de salários, dos quais 1,035 milhões são relativos a remuneração variável e prémios de gestão, anunciou a empresa."

"José Penedos vai receber bónus pelo desempenho de 2009, apesar de ser arguido no processo "Face Oculta". O ex-presidente da REN vai receber até seis vezes o seu salário mensal em bónus, já que as novas regras aprovadas pelo accionista Estado também se aplicam neste caso. Assim sendo, e segundo o relatório de gestão da empresa, José Penedos terá até 162 mil euros de bónus, de acordo com o seu salário mensal em 2009, que era de quase 27 mil euros, segundo o relatório de gestão da REN do ano passado."

O mediatismo do processo Face Oculta  tem o mérito de familiarizar a  opinião pública com os montantes dos vencimentos e dos prémios auferidos pelos altos quadros da administração pública. Num país pobre e cheio de desigualdades, números obscenos como os que descritos acima, ainda que cobertos pela legalidade, não configuram outra coisa senão um crime legitimado pelo Estado. Enquanto as polícias tomam conta do processo face oculta, cabe à política combater o poder que forjou a legalidade do roubo.

por Bruno Sena Martins
link do post | comentar | partilhar

12 comentários:
obelisco instavel
São coisas como estas que envergonham o país, que a vilanagem se oriente não é de espantar, mas porque é o povo tão burrinho?

Que coisas tão brilhantes farão estes senhores que lhes permita ganhar o que um português com o salario minimo ganharia em 263 anos, mais de 2 seculos e meio?
Já um português com um salario médio de 1ooo euros teria de trabalhar 125 anos, um seculo e 1/4.

E fazem os senhores? umas chamaditas telefonicas, umas reuniões para preparar o jantar, e se as coisas correrem mal aumentam os preços dos serviços, que os otários do costume, pagam.

Ainda acham que os jogadores de futebol ganham muito? pelo menos arriscam as pernas, correm todos os dias e acabam por ganhar menos que estas aberrações.

deixado a 18/3/10 às 23:07
link | responder a comentário

Antonio Cunha
Ninguem na FP devia ganhar mais que o presidente, certo ?

deixado a 16/3/10 às 10:23
link | responder a comentário

VL
Pelo que sei, o cargo de administrador da PT não se enquadra no conceito de administração pública.

deixado a 16/3/10 às 10:56
link | responder a comentário

mário borges
Lá vem o defensor das classes dirigentes oprimidas e ostracizadas... Coitadinhos!

deixado a 16/3/10 às 11:15
link | responder a comentário

E lá está. Outro bom artigo. Outra boa contratação. Decididamente a minha leitura diária favorita.
Pena que haja sempre alguém pronto a defender o indefensável.
Tenho uma certa dúvida da sanidade de alguém que ache mesmo que um trabalhador ganhar uma miséria é um quase dever nacional e depois defender salários obscenos de gestores e administradores de empresas... É aquele toque serviçal que ficou em muita gente durante a ditadura. Uma quase servidão voluntária ou se calhar inveja de não andar a sacar do mesmo bolo.
Só me admiro de uma das fontes do artigo ser o sempre tão alinhado governamental Diário de Notícias! Estarão já a preparar caminho a um mais do que futuro governo laranja?

deixado a 16/3/10 às 11:27
link | responder a comentário

ZMS
O Bruno Sena Martins parece que não sabe do que escreve. Só assim se entende que confunda "altos quadros da administração pública" com comissários políticos nos conselhos de administração de empresas participadas pelo Estado. Um pouco mais de cultura e de saber por favor...

deixado a 16/3/10 às 11:37
link | responder a comentário

Bruno Sena Martins
Sim, terá razão.

deixado a 16/3/10 às 11:42
link | responder a comentário

Antonio Cunha
Na ânsia de malhar nem percebeu que não estava a ser irónico. Eu acho mesmo que não deve haver nenhum funcionário publico que ganhe mais que o presidente.

deixado a 16/3/10 às 13:20
link | responder a comentário

LAM
Só para esclarecer que Rui Pedro Soares não é um "alto quadro da administração pública". Que o vencimento é escandaloso, é.

deixado a 16/3/10 às 14:14
link | responder a comentário

CausasPerdidas
Não são da "administração pública", é verdade. Mas o que torna a coisa pornográfica é o facto destes sujeitos aparecerem quase sempre a recomendar para os outros os sacrifícios que não reservam para si, à laia do governador do Banco de Portugal. É gente que não é séria.
Começam por não usar a bitola que resguardam para si em relação aos trabalhadores das empresas que dirigem, começando por mandar às urtigas o tal "critério da produtividade" a ter em conta como factor nos aumentos salariais.
No caso da EDP, onde todos sabem que os resultados foram "muito bem distribuídos", a administração começou com uma proposta de 0,3 por cento de aumento salarial, com a desfaçatez de que estavam a "ter em conta a inflação passada" - o critério debalde desde sempre colocado pelos sindicatos ao apresentarem as suas propostas tendentes a recuperar os salários. Nem energia mais barata, nem valorização salarial da massa dos trabalhadores... nem incremento significativo do investimento na modernização da rede, viu-se. Os accionistas decidem como se espera que decidam, com a carteira. A culpa não é deles, nem dos administradores de origem política colocados à frente dos "El Dorado" de reforma choruda, é de quem entregou o ouro ao bandido.
A "mulher de César" parece e é uma puta. "Estes romanos estão doidos".

deixado a 16/3/10 às 14:19
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador