Quinta-feira, 27 de Maio de 2010
por Arrastão
Texto de António Cunha



Outubro de 1917: o golpe de estado bolchevique significou bem mais do que a queda do czarismo e a subida ao poder de um grupo de políticos idealistas. A revolução liderada por Lenin tornou-se o ícone que representaria o começo de uma nova era para a humanidade, anunciando uma sociedade mais justa e um homem mais consciente de sua relação com seu semelhante. Mas não foi nada disso que se passou, bem pelo contrário. Em todos os países em que os comunistas chegaram ao poder nasceram regimes totalitaristas que não olharam a meios para alcançar os seus objectivos e implementar a sua doutrina. Entretanto morreram mais de 100 milhões de pessoas.

Mesmo depois de o embuste ter sido desmontado continuam a existir vários tipos de pessoas que acreditam piamente na farsa. Em Portugal alguns continuam ligados ao PCP, outros demarcaram-se do partido mas continuam a professar a ideologia e depois existem os mais perigosos de todos, os que se mudaram para o circulo do poder. Só no PS estão várias dezenas de ex-comunistas.

Não me canso de citar um ex-comunista Brasileiro e autor chamado Jorge Amado: “A esquerda em geral não é democrata. Posso dizer porque fui comunista. Lutávamos confessadamente pela ditadura do proletariado, que resultou em ditaduras pessoais e violentas. Democracia não tem nada a ver com ideologia. Ou se é ou não é”.

por Arrastão
link do post | comentar | partilhar

168 comentários:
Manuel Monteiro
António
É intelectualmente desonesto dizer que o que havia de errado na prática do comunismo condena o comunismo; o que há de errado no capitalismo não é do capitalismo bom, é do capitalismo selvagem. Quer dizer: no capitalismo há duas faces, o bom e o selvagem, todos os erros são do selvagem e o capitalismo bom salva-se sempre.
No comunismo, não. Não há cá bom nem mau, são todos uns sanguinários...
MM

deixado a 28/5/10 às 19:33
link | responder a comentário

Antonio Cunha
"Os autores, historiadores que permanecem ou estiveram ligados à esquerda, não hesitam em usar a palavra
genocídio, pois foram cerca de 100 milhões de mortos! Esse número assustador ultrapassa amplamente, por exemplo, o
número de vítimas do nazismo e até mesmo o das duas guerras mundiais somadas. Genocídio, holocausto, portanto,
confirmado pelos vários relatos de sobreviventes e, principalmente, pelas revelações dos arquivos hoje acessíveis.
O terror - o Terror Vermelho - foi o principal instrumento utilizado por comunistas tanto para a tomada do
poder quanto para a sua manutenção, e também por grupos de oposição que jamais chegaram ao governo. Os fatos
demonstram: o terrorismo de oposição e o terrorismo de Estado, com freqüência praticados contra o seu próprio povo,
são as grandes características do comunismo no século XX"

in O Livro Negro do Comunismo

deixado a 27/5/10 às 11:00
link | responder a comentário

Rui F
António Cunha


Meter o CHE no meio desse palavreado, é o mesmo que Angolanos, Moçambicanos, Guineenses, começarem a fazer T Shits com as caras dos fascistas Portugueses, Spínolas, Eanes, e outros oficiais que prestaram serviço no Ultramar (inclusivamente Cavaco Silva, entre outros) e dizer: estes assassinos mataram o nosso Povo e castraram os nossos sonhos, durante séculos.

deixado a 27/5/10 às 10:20
link | responder a comentário

Marx estava errado quando pensava que a propriedade era importante para a igualdade. Há mais de 100 anos que se sabe isso, há mais de 100 anos que se sabe que o importante é o controlo da propriedade e que o comunismo é o caminho para que esse controlo fique mais concentrado num número mais restrito de pessoas, ampliando as diferenças e, com estas, a violência e a opressão.

Mas o pessoal está-se nas tintas para isso, António. O que interessa é que o Che dá uma t-shirt porreira e no pacote da t-shirt vem o marxismo-leninismo-pró-aborto-anti-tourada-pró-isto e anti-aquilo.

deixado a 27/5/10 às 10:37
link | responder a comentário

[...] This post was mentioned on Twitter by Arrastão, Rede TubarãoEsquilo. Rede TubarãoEsquilo said: Arrastão dos comentadores: Comunismo, o grande flop do século XX: Texto de António Cunha Outubro de 1917: o golpe... http://bit.ly/an7Fc6 [...]

deixado a 27/5/10 às 10:38
link | responder a comentário

Antonio Cunha
O CHE aqui só serve para dar um toque de humor. Existem muitas pessoas, principalmente jovens que envergam as tshirts de Che mas não fazem patavina de ideia sobre quem foi nem o que pensava.
É apenas cool.

Faz-me lembrar aquela deputada do pc que não sabia nada sobre Gulags.

deixado a 27/5/10 às 10:50
link | responder a comentário

"Entretanto morreram mais de 100 milhões de pessoas."

- Esta frase solta quer dizer o quê?

1 - Mataram 100 M;

2 - Morreram em 80 anos 100 M;

As vítimas soviéticas do ataque nazi foram
26,6 milhões de militares e civis na segunda guerra mundial (1941-1945), muito superior ao nº de judeus.

deixado a 27/5/10 às 10:54
link | responder a comentário

O anti-Comunismo primário há-de um dia ser catalogado como doença mental.

deixado a 27/5/10 às 10:55
link | responder a comentário

Lá que foi um flop foi, mas foi um flop que deu uma enorme trabalheira ;)

deixado a 27/5/10 às 10:55
link | responder a comentário

E o simplismo simplório pode já ser catalogado como grave deficiência mental.

deixado a 27/5/10 às 10:57
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador