Quinta-feira, 27 de Maio de 2010
por Arrastão
Texto de Rui Miguel Fialho (Rui F)



Agradeço desde já ao arrastão a oportunidade que me deu de poder “postar” no blog.
Eu já tinha aflorado a questão.
O país é desconfiado e tem razões para isso.
Os piores exemplos – na sua esmagadora maioria vêem de cima – acompanhados de uma justiça que pura e simplesmente não funciona (ou se funciona, é inclinada em desfavor das classes de menos recursos e formação) são a realidade.
Esta desconfiança torna o país atrasado, tacanho, sem solução e condenado ao eterno fracassado.
Aparentemente, o Português de uma maneira geral, só se liberta com os estrangeiros ou em pequenas comunidades. Lá fora na estranja, ombreia com todos os povos e em todos os campos do saber, de igual para igual. Porque será? Numa reflexão simplista e despretensiosa, enumero as razões que na minha opinião estão na origem do problema:
- A desigualdade social. É a pior da OCDE.
- A mobilidade social mal existe, ou seja, só uma ESCASSÍSSIMA minoria de pessoas das classes desfavorecidas pode almejar a ter uma vida melhor.
- O compadrio, a cunha, o tráfico de influências são banais e condição para ter emprego, trabalho, abrir um negócio por conta própria, ter subsídios da UE, e estar melhor informado.
- A oligarquia é o sistema que domina a sociedade.

por Arrastão
link do post | comentar | partilhar

49 comentários:
Rui F
Desculpa...reaccionário e não revolucionário :-)

mas sabes outra coisa...mesmo que estudes há o problema do trabalho e aí meu amigo, prevalece a cunha, a influenciazita, o pedido, o "coiso e tal"...

deixado a 27/5/10 às 12:24
link | responder a comentário

Concordo com os pontos enumerados, mas acrescentaria outros que, a meu ver, muito contribuem para este estado de coisas (porque convém não esquecer que somos eleitores, portanto, alegremente votamos em quem nos desmancha a vida).

Assim somos, também, um povo:
- ignorante
- inculto
- facilmente deslumbrado
- viciado no fácil
- com uma falta de civismo atroz
e
- indisciplinado

Em resumo, nunca uma alcunha foi tão bem escolhida como TUGA.

deixado a 27/5/10 às 12:08
link | responder a comentário

Reaccionário
Gostei muito Rui.
Só não concordo um bocado com a parte sobre a mobilidade social: face à revolução que aconteceu no acesso ao ensino superior, muita mais gente hoje tem a possibilidade de almejar uma vida melhor.
Sim, existem muitos que mesmo com um curso superior não passam dos 500€ em call-centers, mas também existem muitos (eu conheço vários) que os pais têm a 4ª classe e trabalharam a vida toda na lavoura e hoje em dia estão por esse mundo fora a fazer o doutoramento à conta de bolsas (a maioria da FCT) ou de prémios de mérito ou a trabalhar em multinacionais.
E mesmo nas castas mais exclusivas, como por exemplo os médicos, cada vez se vêm mais recém-licenciados filhos de pessoas sem nenhuns estudos.

deixado a 27/5/10 às 12:12
link | responder a comentário

Lisboeta
É genético, caro Rui F. Enquanto que nos países do norte da Europa, a preguiça e as condições ambientais sempre foram uma combinação fatal, no sul da Europa a selecção natural fez-se por outro caminho. Isso permitiu que o mérito e o espírito industrioso - consubstanciado geneticamente nos povos do norte - fosse nos povos do sul transformado em chico-espertismo. Extrapolando isto para os dias de hoje...

deixado a 27/5/10 às 12:15
link | responder a comentário

As explicações ambientais, caro Lisboeta, são bem perigosas. E tornariam dificil explicar porque não se vive muito melhor nos andes do que na Florida.

deixado a 27/5/10 às 12:19
link | responder a comentário

Rui F
Pois é revolucionário

Has-de me dizer como é que uma familia - pai e mãe - que leva para casa 600€+600€ consegue ter um filho a estudar no ensino superior.

Podes me dizer que há bolsa, há acção social. Mas eu respodo: e o resto?

deixado a 27/5/10 às 12:21
link | responder a comentário

[...] This post was mentioned on Twitter by Arrastão, apombalivre. apombalivre said: RT-@arrastao Arrastão dos comentadores: Raiz da desconfiança: Rui Miguel Fialho (Rui F) Agradeço desde já ao arrastão. http://bit.ly/9xbXAq [...]

deixado a 27/5/10 às 12:23
link | responder a comentário

Reaccionário
Desculpa lá Rui, mas o que é isso tem a ver com o que eu disse?!
Eu não disse que toda a gente conseguia.
Mas muitos conseguem e com muito menos do que 1200€ por mês. Muitos trabalham em 2 empregos e ainda arranjam forças para estudar.
E sim, a acção social existe e ajuda muito boa gente.
O sistema continua a deixar muita gente de fora?! Claro que continua, mas felizmente o que não faltam por aí são vários casos de sucesso.
Claro que haveriam muitos mais quando as propinas eram um 1/3 das actuais (mas isso sabemos a que governo do PSD/CDS se deve).

deixado a 27/5/10 às 12:33
link | responder a comentário

Reaccionário
"Desculpa…reaccionário e não revolucionário :-)"

Estás perdoado...

"mas sabes outra coisa…mesmo que estudes há o problema do trabalho e aí meu amigo, prevalece a cunha, a influenciazita, o pedido, o “coiso e tal”…"

Eu sei que sim Rui. Mas também há muita gente que consegue passar por cima de tudo isso (e por causa disso é que, dos que vão para o estrangeiro estudar, os que voltam normalmente são os de famílias mais ricas, os filhos dos lavradores são muito mais propensos a ficar por lá). Era isso que eu queria dizer.

deixado a 27/5/10 às 12:51
link | responder a comentário

Lisboeta
Daniel: para não lhe dar razão, eu poderia refugiar-me no cliché que diz que não há regra sem excepção. Mas claro que não o vou fazer. Vou apenas dizer-lhe que a civilização Inca, tão marcante da cultural andina até à chegada dos conquistadores espanhóis, não era propriamente uma civilização "atrasada". O que aconteceu depois, todos nós sabemos.

Mas as explicações ambientais só são perigosas para o argumentário, pois podem ser facilmente desmontadas tal como o DO o tentou fazer (ou fez, de facto). O que é verdadeiramente "perigoso" é alimentar uma discussão em torno da temática da genética dos povos pois esta pode ser aproveitada de uma forma insidiosa, ou seja, racialmente preconceituosa. E eu para esse peditório não dou.

Por isso, nem gosto muito de observar que o mundo vai piorando à medida que nos deslocamos das latitudes do pessoal loiro e de olho azul para as do pessoal moreno e de olhos escuros, até chegarmos aos negros de carapinha. Porque isso faz-me pensar que a "sua" Flórida seria mais tipo Rio de Janeiro se não tivesse sido colonizada pelo pessoal do norte da Europa...

deixado a 27/5/10 às 12:56
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador