Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Womenage A Trois

Daniel Oliveira, 01.07.07
align=center>
O nome promete mais do que dá.
Elas até se queixam que as buscas no Google lhe trazem público com aspirações às quais não é fácil corresponder. Digo elas mas são duas elas e um ele. Agora há uma quarta pessoa que não conheço e que estraga o nome do blogue. Elas escreviam no Sim no Referendo. Excelentes, inteligentes e prontas para atiçar animais ferozes aos respeitáveis senhores da Obra. A Fernanda Câncio que me perdoe, mas é uma menina do coro ao pé da FuckItAll, da Shyznogud e do Cenas Obscenas. São gajas (e um gajo), falam de sexo e de tudo o resto que raparigas sérias deviam guardar para falar entre si. Umas desvairadas.

O Womenage A Trois é blogue da semana e não passa dia na semana que não o leia. Mas agora, minhas caras amigas, está na altura de começarem a aprender o que se tivessem recebido a educação apropriada saberiam há muito. Se os argumentos mais razoáveis parecem nunca vos chegar, talvez cantando vos entre na cabeça:
align=center>

E se voltássemos a discutir as consequêcias do túnel do Marquês para os moradores de Lisboa

Daniel Oliveira, 01.07.07
Escreve-se no Expresso: "Túnel do Marquês dá razão a Santana". Porquê? Porque "passam hoje pela rotunda (à superfície ou no subterrâneo) mais cerca de 15 mil veículos/dia, segundo dados da Divisão de Tráfego da Câmara Municipal de Lisboa". De facto, excelente notícia. Mais 15 mil carros em Lisboa. Era mesmo o que a cidade mais precisava.

Independentemente das polémicas em relação à forma como se fez a obra (que são um outro assunto que já foi sobejamente discutido nos comentários de um post abaixo e aí poderá continuar a ser debatido), esta notícia só me diz que quem achava que o túnel não devia ser feito porque traria mais carros para Lisboa (como eu) tinha toda a razão nos seus argumentos.

Aliás, o título da notícia do Expresso não faz justiça ao que lá está escrito: «Mais complexa é a realidade dentro de Lisboa. O túnel atrai trânsito e vias próximas do Marquês de Pombal têm trânsito como nunca tiveram. É o caso dos últimos dois quarteirões, no sentido ascendente, da Avenida da Liberdade. “Actualmente, ocorrem intensidades jamais observadas”, reconhece a Divisão de Tráfego. O recorde atinge os três mil veículos/hora, no período de ponta da tarde. Há várias leituras. E é junto de especialistas que se ouvem as primeiras críticas ou, então, avaliações menos encomiásticas. “O túnel gerou maiores engarrafamentos na Avenida da Liberdade, pois há menor capacidade de escoamento à superfície”, afirma Fernando Nunes da Silva, professor do Instituto Superior Técnico. “O mesmo acontece para quem desce a Fontes Pereira de Melo e pretende dirigir-se para a Baixa ou para o Largo do Rato”, acrescenta.»

Ou seja, há boas razões para não vir de comboio porque se entra melhor em Lisboa. E a cidade fica com mais carros, mais engarrafada, com mais problemas de estacionamento. E os lisboetas que vivem dentro da cidade pagaram para ter tudo isto.

Entram diariamente 400 mil carros em Lisboa que se juntam aos 300 mil que já cá estão dentro. Não cabe nem mais um. Podemos continuar a remendar. Mas alguém tem de ter coragem de dizer que não podem entrar mais. E que ser fácil entrar de carro na cidade pode parecer excelente mas é uma tragédia para Lisboa, para a rapidez dos transportes públicos, para o ambiente e para a qualidade de vida dos lisboetas. Eu sei que não é popular. Mas parece-me uma evidência.

Bolinha vermelha

Daniel Oliveira, 01.07.07
As minhas amigas do Womenage A Trois descobriram um sistema de classificação de blogues que o CDS deverá brevemente querer impor na lei. Elas são umas santas, ao contrário da fama. Qualquer puto acima dos 13 anos as pode ler. Já aqui o Arrastão, graças aos acesos debates anais dos últimos dias, só pode ser lido depois da meia-noite e com as luzes apagadas. Foi isto que me apareceu:

Mingle2 - Online Dating

Pág. 10/10