Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Um homem do povo

Sérgio Lavos, 14.01.11

 

O populismo quando nasce é para todos. E Cavaco, com a queda nas sondagens, também decidiu abocanhar a sua fatia. Pena é que o tenha feito recorrendo ao, como dizê-lo, enviesamento de classe. O homem que repete 30 vezes - 30 - a palavra "povo" num discurso apoia-se num mito que está muito distante da verdade, para não dizer que se baseia na pura mentira. Nasceu em Boliqueime, é certo, mas a Cavaco certamente não interessará que seja divulgado que a sua família pertencia à pequena burguesia rural, que os seus pais viviam do comércio de frutos secos e de combustíveis e eram proprietários num tempo e lugar em que poucos o conseguiam ser. "Vir do povo", no caso de Cavaco, significa ter conseguido prosseguir os estudos com a ajuda da riqueza familiar, significa ter sido excepção, privilegiado, numa época em que poucos, na sua aldeia, o eram. Mas que isso não impeça os spin doctors que lhe escrevem as falas de continuar a cavalgar a onda populista; a imprensa suave por cá continuará a não fazer um dos seus trabalho de casa: desmontar o discurso engenhoso e oportunista do "candidato do povo".

 

- Vídeo via Provas de Contacto -

68 comentários

Comentar post

Pág. 1/4