Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

O momento Monty Python da semana

Sérgio Lavos, 31.01.11

O futuro prémio Nobel da literatura disserta sobre as origens da psicopatologia humana e a outras disfunções do foro criminal:

 

O serviço militar obrigatório acabou sem qualquer debate público, como se fosse uma coisa sem importância nenhuma. Ora, para muita gente, era uma directriz. Havia jovens vindos da província que tomavam na tropa o primeiro banho! E às vezes aprendiam ofícios - como cozinhar ou conduzir - que lhes davam uma ferramenta para a vida, além de regras de disciplina que ficavam pelo tempo fora. Este jovem que estava em Nova Iorque com Carlos Castro - que terrível coincidência a proximidade entre as palavras Castro e castrado - noutra época estaria a cumprir o serviço militar e não teria dado cabo da vida.'

 

Só este maravilhoso parágrafo (citado no Jugular) daria pano para mangas, mas lendo o artigo todo ainda se encontram mais pérolas de um calibre tão afinado como este. E fica aqui o apelo: por favor, não deixe de escrever, sr. arquitecto. Sem si (e sem João César das Neves, João Carlos Espada e aquela Bibá que de vez em quando escreve sobre a VIDA no Público) tudo isto teria muito menos piada. Impagável.

20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2