Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

"Em termos relativos, o salário mínimo não é realmente baixo em Portugal" (3)

Sérgio Lavos, 14.11.11

Pois é. O Secretário de Estado tem razão. Naquela língua de pau que conhecemos dos tecnocratas, lá foi tartamudeando umas coisas sobre o salário "mediano". Presumo que se referia ao salário médio. E aí, sim, estamos uns furos acima no ranking da UE. E porquê? Será porque... bem, é só uma ideia, mas... será porque Portugal é o 2.º país da Europa com maior desigualdade social? Atrás de nós, quem está? A Letónia. E ao lado, quem? A Bulgária e a Roménia. É uma conclusão evidente: se estamos nos últimos lugares a nível de salário mínimo e um pouco mais acima no que diz respeito a salário médio, isso deve-se à disparidade entre os que ganham mais e os que ganham menos. Entre os gestores de topo e os repositores de supermercado; entre os topos de carreira da Função Pública e os jardineiros das juntas de freguesia; entre os políticos e gestores públicos reformados e os pensionistas com uma reforma abaixo do salário mínimo. Pois, ele tem razão, é claro que tem.

 

Adenda: pode dar-se o caso do secretário estar a referir-se à mediana dos salários nacionais. Tramei-me com a língua de pau, está visto. De qualquer modo, como sugere um comentador, seria bom que o estudo a que ele se refere fosse publicado em algum lado. Só para podermos "relativizar" um pouco mais as coisas.

11 comentários

Comentar post