Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Os tampões de Américo Amorim

Daniel Oliveira, 30.11.11

Sabíamos que o homem mais rico de Portugal não era rico. Era apenas um trabalhador, nas suas próprias palavras. As Finanças foram ver as contas deste humilde trabalhador - o mesmo que, ainda a crise não tinha a começado, já estava a fazer despedimentos preventivos nas suas empresas - e descobriu umas irregularidades. Quer-lhe cobrar mais 750 mil euros de IRC. E ele, claro, que é apenas um trabalhador, recusa-se a pagar.

 

Parece que os Serviços de Inspeção da Direção de Finanças de Aveiro descobriram centenas de milhões de euros em despesas pessoais na empresa Amorim Holding2. Entre elas, viagens da família a destinos turísticos, massagens, contas de mercearia e tampões higiénicos que, só não sabe quem não passou por isso, são fundamentais para o desempenho profissional de Américo Amorim. Na empresa mãe deste simples trabalhador encontrou 3,1 milhões de despesas indevidas.

 

Quero manifestar aqui a minha solidariedade com Américo Amorim. É escandaloso que, com tanta gente rica a fugir aos impostos, vão atrás da arraia miúda. E nada escapa a este espírito pidesco. É que um homem nem pode passar por dias difíceis? Diz-se que os artigos de higiene feminina que usou para fugir ao fisco são de boa qualidade quando não se sentem e não se veem. É como os impostos do senhor Amorim: ele não os sente e nós não os vemos.

 

Publicado no Expresso Online

 

 

 

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Obelisco instavel 30.11.2011

    Caro Toni

    Tanto quanto sei o homem( a sua empresa) não ficou a dever irc, o que fez foi aldrabar as contas, metendo nas contas da empresa as suas despesas pessoais e, consequentemente, defraudando o Estado e os contribuíntes(entre os quais penso que se inclui) do pagamento devido do irc em falta. Mais, essas despesas são confidenciais, pelo que são tributadas em 50%, ora o nosso artista, não só não pagou os 50% devidos ao Estado, como deduziu incorrectamente as despesas pessoais na colecta de irc.
    Eu não gosto que me façam certas coisas, mas já percebi que o meu caro Toni gosta, não só gosta como pede mais.

    Eu não gosto qu
  • Sem imagem de perfil

    Tonibler 01.12.2011

    O post diz que o estado lhe quer cobrar IRC. Quer ou não?
    O post fala em 3,1 milhões de despesas pessoais. Querem explicar-me como é que um sujeito consegue gastar 3 milhões de euros num ano em despesas pessoais do tipo tampões?

    Vocês comem de tudo, basta que façam um postzinho de ódio. A questão parece-me relativamente óbvia: os empregados recebem parte em fixo e parte em despesas. Mas isso não fica bem num post de ódio, o que fica bem é "o Amorim, que diz que é trabalhador, andou a roubar nos impostos". Não fica tão bem como "os trabalhadores do Amorim levam mais uns cobres para casa apresentando umas facturas".  E aos cães fascistas aí de cima basta uma destas e ficam logo "mata, mata, mata!".

    Nem é preciso conhecer a coisa em detalhe, basta pensar um bocadinho antes de começar a espumar.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.