Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

A nova escola de hermenêutica anti-socrática

Sérgio Lavos, 12.12.11

Ao longo da última semana, temos vindo a assistir ao nascimento de uma nova espécie de comentador: o hermeneuta-telepata do pensamento de José Sócrates. Uma afirmação clara, claríssima, do antigo primeiro-ministro, e verdadeira para além de qualquer dúvida, deu azo à criação de páginas e páginas de pensamento que visa analisar as implicações, segundos sentidos, leituras esotéricas e discursos subliminares da coisa. Chega-se ao ponto de - Pedro Santos Guerreiro no Eixo do Mal é o exemplo desta corrente - concordar-se com a afirmação de Sócrates, acrescentando-se de seguida que ele não tem legitimidade para a proferir. O reino do maravilhoso onde vivemos é de assombrar: transforma-se o que vai além de qualquer subjectividade interpretativa, uma verdade, numa realidade subjectiva. O que é verdade na boca de Pedro Passos Coelho é mentira e uma afronta ao povo português por parte de Sócrates. Vivemos tempos difíceis: a alucinação colectiva vai substitituindo a razão. Na ânsia de encontrar um culpado interno para os nossos males, há quem deixe cair uma densa nuvem de poeira sobre o entendimento. Receio o que possa acontecer quando se chegar à conclusão de que a culpa da austeridade recessiva aplicada por este Governo não é do anterior primeiro-ministro. Quando chegar esse dia, onde estaremos nós?

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    jeronimo 16.12.2011

    Tanta gente a falar de cor da gestao da divida sem pereceberem ou reconhecerem exactamente o que se passou.
    O que provocou o aumento da divida ? Foi o Socrates que andou a gastar em TGVs e estradas e boys como a imprensa condutora de camelos apregoa ? E ous osutros foram os responsaveis ?
    Factos:
    1) em Novembro de 2008 a Uniao Europeia emitiu uma directiva que autorizava e incentivava os estados a aumentarem a divida para combater os receios de uma depressao identica a de 2030. A reducao do inevitavel agravamento do defice seria contemplada numa segunda fase. Todos os estados seguiram esta directiva para injectar dinheiro na economia. Em Portugal gastou-se em estradas, mas tb em layoffs das empresas do sector automovel, apoio as empresas texteis, renovacao do parque escolar;  
    2) em Janeiro de 2010 descobriu-se a marosca nas contas gregas. A conta disso, os inocentes, omnipotentes e omnipresentes "mercados", levaram a uma subida das taxas de juro que no caso de Portugal levou a uma triplicacao da taxa nos meados de Abril;
    3) a estagnacao da economia global, mais acentuada em paises com mais problemas, como Portugal, levou a uma cavalgada do indicador de divida face ao pib. Se a divida e os juros aumentam, e para cumulo o Pib desce.


    Isto foi a gestao do Socrates ? Foi, mas eu diria que foi a possivel.
    E o que fazem os genios que o sucederam para pagar ? 
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.