Terça-feira, 27 de Dezembro de 2011
por Miguel Cardina

Diz o Tiago Mota Saraiva com muita clareza e ainda mais acerto:

 

Camilo Lourenço é apenas mais um que tenta demonstrar que levámos uma “vida fácil”, neste caso, “vida de alcoólicos”.
Nos meus momentos mais bonzinhos tendo a pensar que esta visão é toldada pelas dificuldades em ver o país a partir das janelas do seu automóvel de vidros fumados. Será que Camilo Lourenço não se apercebe que a maioria contraiu empréstimos para garantir necessidades básicas, como por exemplo, a habitação? Será que não se apercebe que um empréstimo não é um favor que a banca presta, mas uma prestação de serviços? Será que não se apercebe que durante o período que classifica de bebedeira havia centenas de milhar de pensionistas que não auferiam o valor mensal mínimo para se alcoolizarem condignamente? Será que não se apercebe que a maioria dos portugueses tão ou mais qualificados que Camilo Lourenço não auferem por ano o que um banqueiro aufere por semana?

 


por Miguel Cardina
link do post | comentar | partilhar

32 comentários:
LAM
E sinto-me ainda mais vigarizado ao ler o Camilo Lourenço: não tendo sido eu beneficiado nem conhecer ninguém que o tivesse sido com essa benesse do spread a 0%, quem teria sido? quem beneficiou de spread a 0% de que fala o Camilo Lourenço? ...lá está, se calhar foram os que tiveram bar aberto durante este tempo.  Não é portanto para mim nem para outros como eu que Camilo Lourenço está a falar. 

deixado a 27/12/11 às 19:38
link | responder a comentário

MetroidSamus
Não, não percebe. E é difícil de perceber qd vê o pessoal dos subúrbios a gastar balúrdios no McDonalds, enqt esse e outros têm de se contentar com bicas do sapato e assim....

deixado a 27/12/11 às 19:41
link | responder a comentário

Esse é o mesmo que denunciou o caso BPN e foi despedido por causa disso, certo ???


É só para nos situarmos.

deixado a 27/12/11 às 19:58
link | responder a comentário | discussão

Rui F
anda agora a redimir-se...nunca se sabe se de repente alguém lhe oferece um "impulse" e o despede.

Fazem sempre falta umas boas referências..

deixado a 28/12/11 às 00:11
link | responder a comentário | início da discussão


Camilo Lourenço ?

Já ouvi falar neste coiso

deixado a 27/12/11 às 21:26
link | responder a comentário


esse Camilo, para cretino não lhe falta nada... e, para desonesto intelectual e não só, também não!...

deixado a 27/12/11 às 22:01
link | responder a comentário

Miguel,

Se juntarmos a Camilo Lourenço, cerebros como João Confraria e João Duque...são estes pontas de lança que tem feito muito do trabalho sujo.
Dai, “vida fácil”, neste caso, “vida de alcoólicos” querer dizer que o culpado da crise é o Bolota e não é. Muita da culpa da crise é precisamente de Camilo Lourenço, João Duque e João Confraria, por uma razão simples, são professores de alto...gabarito no meio politico/economico e não fora capaz de prever a bancarrota.

deixado a 27/12/11 às 22:41
link | responder a comentário | discussão

Albano
 "são professores de alto...gabarito no meio politico/economico e não fora capaz de prever a bancarrota."

Pelo contrario, foi graças a eles e não aos politicos de serviço, que o povão ficou a saber de há uns anos para cá para do que é que nos esperava.


Albano,

Então deve ser por isso que eles são consenheiros, assessores e potenciais politicos de serviço do sistema vigente.
João Confraria e João Duque, são-o sem espinha, Camilo Lourenço tenta ser independente sem o conseguir.
Já reparaste que há por ai economistas que sempre acertaram nas suas apreciações e que não os enchegas  em debate nenhum???


Albano
Referes-te ao Medina Carreira, certamente.


Não referia-me a Eugénio Rosa e Sérgio Ribeiro, por exemplo.


Quanto a João Duque:
http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/duque-rtp-internacional-deve-estar-sob-orientacao-do-mne-1521015


O João Confraria, é um artista português...
http://www.archive.org/details/Apdsi-FormDaArrabida2010-ProfJoaoConfraria


Albano
Eugénio Rosa e Sérgio Ribeiro... bem, primeiro tens de convencer o povo de que o dinheiro cai das arvores, só depois conseguirás ter gente a acreditar no que estes senhores dizem.
Boas entradas!

deixado a 30/12/11 às 11:23
link | responder a comentário | início da discussão

blv

O homem sabe muito bem o que o patrão quer ouvir.

deixado a 27/12/11 às 23:25
link | responder a comentário

JEM
Vocês aqui no arrastão deviam-se coordenar melhor. Uma vê um boxing day consumista e despesista, já outro vê pessoas sem sequer dinheiro para se alcoolizarem... isto é um bocado esquizofrénico...

deixado a 27/12/11 às 23:44
link | responder a comentário

O não querer ver factos torna-se penoso quando vem de pessoas de boa craveira intelectual.
A verdade é que o endividamento das famílias não se centrou na compra de casa mas sim na compra das bugigangas para colocar em casa, nos carros e nas viagens a Cancun.

E se os bancos como o senhor diz fazem uma prestação de serviço (uma barbaridade em termos económicos) na realidade estabeleceram um contrato que deve ser honrado pelas partes.
E isso não foi.

Isto são factos.
Outro facto é que Camilo Lourenço é uma das vozes mais lúcidas e competentes em matérias económicas.

Por último vir atirar para aqui com os pensionistas de rendimento minímo é um bocadinho pornográfico.
Esses coitados só se endividariam para comprar os remédios não vão para o Recife.



 

deixado a 27/12/11 às 23:56
link | responder a comentário | discussão

web/sniper
Julgo que perante um tão avultado leque de opiniões (e especulações) para encontrar causas (próximas e remotas) da dívida (pública e privada) estará de acordo que se promova uma auditoria cidadã...
Ou não?


De acordo a 300% e até já sei os resultados.
Os que querem o sim descobrem o sim os que querem o não descobrem o não.
Foi assim nas milhares já feitas e nos "inquéritos" a Camarate.

deixado a 28/12/11 às 09:04
link | responder a comentário | início da discussão

antónio pedro pereira

Fado:

Não esperaria que para si um economista de referência fosse alguém diferente de C. Lourenço. Tudo o que ultrapassar C. Lourenço é areia de mais para a sua pobre camionetazita. Desde quando é que um jornalista económico é um economista?

Se quer um economista lúcido, que antecipa cenários com fundamentos, leia João Ferreira do Amaral; ele previu tudo o que nos está a acontecer antes e imediatamente após a entrada do euro. Tem livros em que explica que a entrada do euro de um país fraco e débil de todos os pontos de vista só pode conduzir ao desastre. Mais, diz que dentro do euro nunca conseguiremos sobreviver, muito menos pagar as dívidas e prosperar. Estamos a apodrecer no euro, não temos tecido produtivo que compita, por um lado, com os salários baixos da China e da Índia, por outro, com as indústrias de ponta da Alemanha, França, Finlândia, Itália, etc.

Há uma coisa que você nunca compreenderá. As pessoas (mesmo naquilo que nós chamamos comportamentos irracionais) comportam-se racionalmente do ponto de vista económico, isto é, as políticas e as directrizes macroeconómicas determinam os comportamentos das pessoas. Se a moeda é forte e os juros são baixos é inevitável que se consuma: acontece em todo o lado, tal como o contrário se mudarem as políticas macro.

Nada disto desculpa a irresponsabilidade das pessoas (eu não sou rico e não tenho 1 euro de dívidas) nem a irresponsabilidade do Estado que gastou o que não tinha em autoestradas e quejandos.

Mas as coisas são um pouco mais complexas do que o que diz o jornalista C. Lourenço. Ele fala dos slogans punitivos da moda neoliberal, o que nós precisamos é de realismo económico que pense no país como um todo com a perspectiva de servir os portugueses (todos).


deixado a 28/12/11 às 11:56
link | responder a comentário | início da discussão

antónio pedro pereira

Fado:

Não esperaria que para si um economista de referência fosse alguém diferente de C. Lourenço. Tudo o que ultrapassar C. Lourenço é areia de mais para a sua pobre camionetazita. Desde quando é que um jornalista económico é um economista?

Se quer um economista lúcido, que antecipa cenários com fundamentos, leia João Ferreira do Amaral; previu tudo o que nos está a acontecer antes e imediatamente após a entrada do euro. Tem livros em que explica que a entrada do euro de um país fraco e débil de todos os pontos de vista só pode conduzir ao desastre. Mais, diz que dentro do euro nunca conseguiremos sobreviver, muito menos pagar as dívidas e prosperar. Estamos a apodrecer no euro, não temos tecido produtivo que compita, por um lado, com os salários baixos da China e da Índia, por outro, com as indústrias de ponta da Alemanha, França, Finlândia, Itália, etc.

Há uma coisa que você nunca compreenderá. As pessoas (mesmo naquilo que nós chamamos comportamentos irracionais) comportam-se racionalmente do ponto de vista económico, isto é, as políticas e as directrizes macroeconómicas determinam os comportamentos das pessoas. Se a moeda é forte e os juros são baixos é inevitável que se consuma: acontece em todo o lado, tal como o contrário se mudarem as políticas macro.

Nada disto desculpa a irresponsabilidade das pessoas (não sou rico mas não tenho 1 euro de dívidas) nem a irresponsabilidade do Estado que gastou o que não tinha em autoestradas e quejandos.

Mas as coisas são um pouco mais complexas do que o que diz o jornalista C. Lourenço. Ele fala dos slogans punitivos da moda neoliberal, o que nós precisamos é de realismo económico que pense no país como um todo com a perspectiva de servir os portugueses (todos).



Senhor Professor Doutor Catedrático, muito obrigado por mais esta portentosa lição que de tão valiosa voltou até em eco criando um surpreendente efeito de estereofonia.
Vou ver se consigo passá-la a Camilo Lourenço afinal todos tem direito a aprender.

Como já disse algumas vezes há por aqui pessoas que se deliciam em meter-se na minha conversa o que dá imensa publicidade.
Ora a publicidade paga-se e eu não a dou de borla.

Assim, a partir de agora passar bem.
Se quiser troco mande um mail que eu envio o NIB.


antónio pedro pereira

Fado Alexandrino:

Não sou nem nunca serei Professor Catedrático, mas faço tudo para não ser bronco nem boçal.

Eu sei que para pessoas equipadas com uma camionetazita muito pequenita fazer esta destrinça também seja areia de mais.

Que se há-de fazer?

Cada um carrega o Fado que Deus lhe deu, seja ele Alexandrino, Decassilábico ou Bárbaro.


deixado a 29/12/11 às 16:10
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador