Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011
por Miguel Cardina

 

 

Um trabalho de Nuno Oliveira. Clique aqui para ver em tamanho aumentado.


por Miguel Cardina
link do post | comentar | partilhar

28 comentários:
Edmundo Martinho, presidente do Instituto de Segurança Social, admitiu ontem (penso que foi há ano e meio), no Parlamento, que 64 % dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) tem rendimentos do trabalho ou de pensões.

deixado a 30/12/11 às 17:54
link | responder a comentário | discussão

Hugo
É preciso viver-se noutro planeta e alheado da realidade como o Fado Alexandrino e mais algumas aves raras que por aqui pairam para propagandear que os pobres são apenas os que não trabalham (ou seja, não têm salários) ou recebem pensões do Estado (sabe qual é o valor mínimo, não sabe)?

deixado a 30/12/11 às 19:58
link | responder a comentário | início da discussão

Fado Alexandrino, e qual é o problema?

A filosofia do RSI é de que, se o total dos rendimentos (salários, pensoões, rendas, o que for) recebidos por uma família for inferior a um dado montante, recebem uma prestação (o RSI) equivalente a essa diferença,  (por isso é que inicialmente se chamava "rendimento mínimo garantido", porque a ideia era assegurar que ninguém descia abaixo de um dado mínimo).

Ora, se há pessoas que tem emprego mas não recebem um ordenado suficiente para chegar a esse mínimo (ou porque o ordenado é baixo, ou porque a família é grande), recebem um RSI equivalente à diferença entre o seu ordenado que recebem e o tal valor que se considera ser essencial para viver integrado na sociedade portuguesa actual. E depois? É EXACTAMENTE  essa a ideia de como o RSI é suposto funcionar.


O presidente da Comissão Nacional do RSI respondeu ontem, ( foi há ano e meio agora devem ser mais) no Parlamento, a dezenas de perguntas dos deputados. Revelou que 11.200 beneficiários (três por cento do total) não têm nacionalidade portuguesa.

 
Queria esclarecer os senhores que responderam que eu não estou a dar opinião, estou a citar factos.
Quem pode dar opinião são os funcionários dos CTT nos dias em que chegam os vales para levantar o RSI e que eles (os funcionários) garantem que muitos estão belamente integrados.
 
Aproveito para dizer que em Massamá aos sábados há uma feira onde se vende de tudo a preços muito em conta até calças Levis.
 
 




Joe Strummer
Fado, vamos a factos.
As filhas do PCoelho vivem em Massamá e são africanas, segundo o proprio. A mulher tambem, segundo a propria. Eu não sei o que isto interessa para o caso nem se ilustra na perfeição o  teu exemplo mas concerteza arranjarás um qualquer nexo de causalidade que dará um boa argumentação bloguistica. É só uma achega.

deixado a 31/12/11 às 14:14
link | responder a comentário | início da discussão

Antónimo
Na realidade os factos provam o que diz um estudo da universidade católica, conduzido por Alfredo Bruto da Costa, e que na altura foi citado por jornais.

Uma percentagem muito grande dos pobres trabalhava ou tinha pensões. Logo não era o facto de trabalharem ou de terem trabalhado (os pensionistas) que os afastava da pobreza.

deixado a 31/12/11 às 14:30
link | responder a comentário | início da discussão

Luís
Estão aqui outros factos, que não podem ser esquecidos.
http://www.jrsportugal.pt/images/memos/artigo_Publico_16_dez_2011.pdf (http://www.jrsportugal.pt/images/memos/artigo_Publico_16_dez_2011.pdf)

deixado a 31/12/11 às 14:38
link | responder a comentário | início da discussão

MetroidSamus
O pessoal que é contra o RSI, mas todo a favor do liberalismo mais desenfreado, e que adora Hayek, devia ler o que esse comuna perigoso esquerdalho caviar etc etc escreveu sobre este tipo de medidas (NB: caso leiam e sofram de uma apoplexia ou outra coisa mázinha qualquer, não me responsabilizo, e não pago indemnizações. São livres, como a gaivota, de não ler, tsá?)

deixado a 30/12/11 às 18:25
link | responder a comentário

No início fui um dos cidadãos de direita defensores do Rendimento Mínimo, ainda hoje me preocupo com a forma dele chegar mesmo àqueles que precisam e não se ficar pelos oportunistas que são os maiores inimigos do RSI-
Cá o meu vizinho que nunca quis trabalhar e sempre negociou votos e outras coisas para obter uma forma fácil de ganhar a vida descobriu que com o apertar do cerco já não conseguia convencer o sistema aqui na ilha onde todos se conhecem... felizmente foi agora para o Continente, pois aqui já não dava.
Espero que ao menos aprenda a trabalhar aí ou que continue a sobreviver do orçamento da república aí, pois por aqui deixou de ser um mau exemplo

deixado a 30/12/11 às 19:57
link | responder a comentário

JgMenos
Mais importante que as estatísticas financeiras é saber-se que se construiu um Estado promotor e cúmplice da inação e da subsídio-dependência.
E uma classe de 'esquerdistas' que sempre justificam o oportunismo e nunca requerem a cobrança do dever de cada um de se fazer à vida.
Existo, logo tenho direitos, logo tomem conta de mim - é o grande princípio da esquerda que temos.

deixado a 30/12/11 às 20:03
link | responder a comentário

Isto não é nenhum mito e envergonha qq portugues


O Centro de Genética Médica Jacinto Magalhães do Instituto Ricardo Jorge contabilizou através do teste do pezinho, feito a todos os recém-nascidos, 97112 bebés, menos 4269 bebés em 2011 do que em 2010.




Deste modo 2011 é o PIOR ano de sempre em termos de nascimentos.


E não venham com a merda da crise porque somos mesmo os piores em termos mundial.

deixado a 30/12/11 às 20:12
link | responder a comentário | discussão

Cunha,

A tua ância de dizer coisas, faz de ti um bloger de merda.

Portugal registou um ligeiro aumento de nascimentos em 2010, comparativamente com o ano anterior. Houve mais 1931 nascimentos

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/saude/nasceram-mais-de-100-mil (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/saude/nasceram-mais-de-100-mil)


Bolota, esses números são de 2010.

A noticia que referi é referente ao ano de 2011.

Afinal és tu que não lês as coisas com atenção.

deixado a 2/1/12 às 11:37
link | responder a comentário | início da discussão

Bonifacio Milhoes
MAMAO!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Chupão !!!!!!!

deixado a 2/1/12 às 11:38
link | responder a comentário | início da discussão

José Peralta
Cunha

O fraco crescimento demográfico, acha você que não tem que vêr com a "merda da crise" ?

E quererá você dizer que não há crise ?

Só se ela está a passar-lhe ao lado...

Será por isso que você se afadiga tanto em arranjar desculpas, justificações, para ilibar esta gentalha ?


Mas a culpa do que nos aconteceu é de quem ?

deixado a 2/1/12 às 11:39
link | responder a comentário | início da discussão

Maria Henriques
Isso é para quê? Para ajudar a limpar a porca consciência do mota vespa soares? Olha que bom.Assim já pode sentar o cu no confessionário e dizer ao padre que levou daqui a benção.LOL.

deixado a 30/12/11 às 22:44
link | responder a comentário

A taxa de natalidade desceu mais agora no final do ano, depois das primeiras medidas gravosas como a descida de salários na função pública ou o aumento do desemprego terem sido uma realidade, porque nos primeiros meses do ano a  queda não se verificava.
Espero que se faça um estudo sério sobre isso para ver a correlação existente entre a crise e a baixa taxa de natalidade. Para agravar as coisas este governo que diz defender a família ainda aumentou  os produtos lácteros para bebés de 6% para 23%.
Os rendimentos são  baixoa, a situação vai tornar-se ainda mais isustentável, por isso, muita gente tem medo de ter filhos, porque nem sabe se depois terá dinheiro para comprar comida e roupa para que a criança viva com a dignidade que merece qualquer ser humano.

deixado a 30/12/11 às 22:52
link | responder a comentário | discussão

Anónimo
Falta também relacionar a evolução da taxa de natalidade com a da taxa de emigração onde muita gente nova (em idade de ter filhos) está a sair do país às centenas por mês. Este ano tem sido uma sangria para o país e o que virá nem se fala.

deixado a 31/12/11 às 01:41
link | responder a comentário | início da discussão


eu não compreendo que pessoas que recebem ordenados e pensões de reforma muito confortáveis venham para aqui mostrar indignação pelo facto de pessoas poderem ainda comer com uma prestação social que não atinge os 190 € mensais , que só se eleva se for para vários membros e, nesse caso, o montante vê-se reduzido a mesmos de 100 € por mês por cada um... eu gostava de ver esses senhores viverem com uma soma identica por mês para pagar edp, água e gás e ainda comer todos os dias...

depois, os argumentos da percentagem de estrangeiros que o recebe, é riducula... também os estrangeiros, e mais esses do que os outros, vivem na precaridade e quando o desemprego existe com tendência a aumentar descontroladamente , já não é o trabalho que pode "dignificar o homem". também há portugueses a receceber rendimentos mínimos noutros países e são bem mais elevados (3 ou 4 vezes mais).

o paradígma da sociedade do pleno emprego acabou há já algum tempo no nosso país e a única repressão não é solução para o aumento da delinquência...

há uma coisa que me choca neste país é ver gente a receber pensões de reforma superiores a 1000 euros, quando já não têm filhos para criar e que nem sequer trabalharam mais nem mais tempo do que outros que recebem 300 ou 400 euros, para não falar dos que nem isso recebem!...

e vem essa gente indignar-se com a atribuição do mínimo para não morrer de fome... mas, não dizem nada quanto ao facto de a esmagadora maioria dos beneficiários serem do sexo feminino e isso devia chocá-los!...

deixado a 31/12/11 às 12:58
link | responder a comentário | discussão

É o princípio do egoísmo, ficar indignado com pessoas pobres e excluídas que, caso não fosse o RSI, ficariam sem qualquer apoio, aumentando assim o seu sofriento e carência. Temos de ser solidários e a solidariedade não se deve limitar apenas às cartias ou às misericórdias, nem deve acabar só porque os recursos financeiros, por culpa dos capitalistas, escasseiam.
Uma coisa é investigar para determinar quem precisa de RSI, outra coisa é acabar e considerar essas pessoas como fonte de todos os problemas sociais, quando a maior culpa da situação atual não é dessas pessoas.

deixado a 31/12/11 às 16:55
link | responder a comentário | início da discussão

não verifiquei o que escrevi e deve estar cheio de erros. espero que ao menos seja compreensível.

deixado a 31/12/11 às 13:03
link | responder a comentário | discussão

CausasPerdidas
Só não compreendeu quem não quis.

deixado a 31/12/11 às 14:43
link | responder a comentário | início da discussão

MetroidSamus
Está bem compreensível. Só gente com vidinha confortável,  egoísmo cego e sentimento de invulnerabilidade é que não pode concordar (e muitos deles até são pessoas caridosas, q vao à missa e tudo). Indignam-se com as migalhas q se dão a esses "indigentes, parasitas, etc", pq se sentem espoliados, mas são os primeiros a defender as subvenções vitalícias (desde que seja para os da sua cor partidária, claro) e a não condenar a grande corrupção (desde que da sua cor política, mais uma vez). Enfim, talvez não sejam egoístas, tv sejam apenas burros.

deixado a 31/12/11 às 19:34
link | responder a comentário | início da discussão


Façam por ter um bom ano 2012... vejam o que entendo "par là"!... (http://e-konoklasta.blogspot.com/)

deixado a 31/12/11 às 17:57
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador