Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Um país em estado de sítio

Sérgio Lavos, 20.01.12

 

«Serviços de internamento cheios obrigam a pôr doentes nos corredores do Sta. Maria.

 

Uma fonte próxima da principal unidade do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (CHLN) disse mesmo ao PÚBLICO que “o Hospital de Santa Maria virou um autêntico hospital de campanha” nos serviços de internamento, “porque é o cenário que mais se assemelha à realidade vivida nestes serviços nos últimos tempos”

 

 “Além dos 21 utentes que podem receber em camas no internamento, quase todos os serviços estavam com 10 utentes internados ao longo do corredor numa maca”

 

José Pinto da Costa apontou ainda a crise como outra razão para o excesso de afl uência ao hospital, que levou a que muitas pessoas deixassem de ter um seguro de saúde.» 

 

 

De realçar o falhanço da estratégia do antigo gestor da Medis, Paulo Macedo, para convencer os utentes a recorrerem aos serviços de saúde privados, destruindo assim o SNS. Por causa da crise, e mesmo com um agravamento brutal das taxas cobradas pelos serviços de saúde públicos, não há dinheiro para CUF's ou Hospitais das Luzes. Só os ricos continuam a poder ter esse privilégio. Em tempos de acelerado empobrecimento, as desigualdades sociais crescem ainda mais no país mais desigual da UE.

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    João 20.01.2012

    Francisco a culpa disto tudo é dos comunas que comeram as vacas no Alentejo a seguir ao 25 de Abril não é? Ou de UM ano de nacionalizações como diz o Braga Macedo?!
    O melhor era mesmo que o Soares dos Santos escolhesse sozinho o PM, ele até já disse que gosta do Portas, um homem impoluto acima de qualquer suspeita.
    Sinceramente estou cada vez mais convencido que o problema de Portugal são mesmo os portugueses. Esta gente se pudesse ressuscitava o Salazar e punha o de volta à cadeira com ela bem pregada ao chão para não cair outra vez. Ninguém percebe que o que falta é o conhecimento cientifico e desenvolvimento tecnológico e que esse comboio começou a passar nos países desenvolvidos à 500 anos.
    Neste país os grandes empresários não produzem nada, são zero. É um país de serviços e supermercados.
    Mas alguém acredita que este rectângulo alguma vez irá passar disto?!Com este povo?!
    Este ano acabo o mestrado e se vier a emigrar será principalmente por causa deste povo bafiento...por causa de tipos como você Francisco... 
  • Sem imagem de perfil

    Francisco 20.01.2012

    Pois é João, esse povo bafiento que paga o seu mestrado para depois você ir para fora tratar da sua vida! 
  • Sem imagem de perfil

    João 20.01.2012

    Pois é, até é você que gasta 500 eur por mês à 5 anos para eu me formar. Que sociedade tão justa e democrática em que vivemos que permite que todos os jovens tirem um curso superior independentemente das possibilidades dos seus pais. Você é daqueles que acha que neste país quem quiser frequenta o ensino superior? Não é preciso meios porque cá o estado paga tudo?!
    Tá enganado em mim investiram os meus pais e só a eles lhes devo tudo. 
    O povo bafiento investiu nos Cavacos, nos Varas,  nos BPN´s e submarinos. E parece querer continuar a investir no mesmo.
  • Sem imagem de perfil

    Francisco 22.01.2012

    João, o ensino universitário "gratuito" é das coisas mais injustas e regressivas do ponto de vista fiscal que existem. O pobre operário que trabalha numa fábrica e que nunca foi à universidade tem que pagar os cursos através dos seus impostos a todos aqueles que a frequentam sendo que quem beneficia desse ensino são os que lá andam, não o operário. Aceito que o estado tenha que permitir que todos possam frequentar a universidade DESDE QUE estejam dispostos a pagar os custos no futuro. Até pode ser em 20 ou 30 anos mas têm que a pagar. Não justo impôr esses custos a ourtros.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.