Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012
por Daniel Oliveira

 

José Afonso não era apenas um músico que emprestava o seu talento a causas em que acreditava. Não era uma estrela que se promovesse em participações esporádicas em cerimónias de solidariedade ocas. Não era apenas um dos mais talentosos músicos portugueses. Tão genial que fazia o que nenhum fizera sem ter um saber técnico especialmente apurado. Zeca Afonso era um militante, palavra que é hoje usada para insulto. Na sua generosidade, no seu empenhamento e no compromisso com as suas convicções. Sempre livre das tutelas de quem se julgasse dono das lutas dos outros, sempre preso ao dever de nelas participar.

 

Zeca Afonso era de um tempo em que a participação política se fazia por um imperativo ético. Era um compromisso de vida. Ao contrário de tantos outros da sua geração, esse empenhamento não foi um momento de excitação juvenil. Acompanhou-o até ao fim. Quando o engajamento político ainda se pagava caro (e ele pagou-o) e quando começava a ficar fora de moda. Foi sempre a todas, sem precisar de grandes palcos ou de holofotes. Onde estivesse a sua gente ele estaria. E a sua gente não era toda a gente. Nunca é para quem corre o risco de fazer escolhas.

 

Quase tudo o que Zeca Afonso fazia já não se usa. E é por não se usar que nos faz tanta falta. 25 anos depois, a sua ausência sente-se por sabemos que não nos faltaria nestes tempo de vampiros. Nunca nos faltou em todos os outros. Sorte a dos que tiveram um dos mais geniais músicos portugueses do seu lado de cada combate.

 

Publicado no Expresso Online


por Daniel Oliveira
link do post | comentar | partilhar

26 comentários:
Carlos Marques
Zeca era um militante no sentido nobre, solidário.

Não beneficiou materialmente com o 25 de Abril, para que contribuiu.

Não quis ser califa no lugar do califa.

Duvido que, ao contrário de outros, ditos poetas da liberdade, Zeca algum dia tivesse dado importância a espingardas Purdey.

Zeca podia ter sido deputado, podia ter aproveitado para sacar uma casa da Câmara ou outras benesses, podia ter andado por ali como outros e enriquecido.

Zeca foi usado e parece que para o fim terá ficado com alguma amargura ao ver os outros a ficarem cada vez mais instalados e confortáveis com o poder e o dinheiro.

deixado a 23/2/12 às 09:36
link | responder a comentário | discussão

Amargura, não. Apenas pena... de alguns. Apenas nojo... de outros.


Carlos Marques
Amargura no sentido de desprezo por uns e outros que em vez de terem contribuído para desenvolver o país, preferiram tudo fazer para serem os aristrocratas do 25 de Abril - ricos e inchados e de ar sisudo...


Essa amargura "compro". Não lhe faltaram motivos.

deixado a 24/2/12 às 00:10
link | responder a comentário | início da discussão

Toni Bolor
A constituição é uma chatice!


http://youtu.be/PpUjl4LvQM8

deixado a 23/2/12 às 10:59
link | responder a comentário

Rui F
Os génios são desprendidos e o Zeca Afonso era-o.

A carreira do Zeca ganhou amplitude, sobretudo no pós 25 de Abril. Havia o PREC em 75.
Havia vários PREC's (uns bonitos e bons e outros feios e maus) e o PREC do Zeca era dos bonitos (o saudoso PREC que ele referenciava), por isso, sem que ele fizesse por isso, o escolhemos naturalmente como referência.

Houve várias tentavas de colagem ao ZECA e ele com coragem e sabedoria, soube sempre dar a volta. No final, valeram-lhe os amigos (e eram MUITOS) que tal como ele, nunca pediram nada em troca.

Vou durante estes dias, voltar a ouvir o ultimo álbum "galinhas do mato"

deixado a 23/2/12 às 11:04
link | responder a comentário | discussão

"Pirralha...eu?"

Primo Rui F


Começo por deixar esta canção do nosso ZECA


http://www.youtube.com/watch?v=QiHf-4fodos (http://www.youtube.com/watch?v=QiHf-4fodos)


Repara nos versos:


“Aquela pomba tão branca, todos a querem p’ra si”


Premonitório em relação ao que aconteceu com ele mais tarde, quando resistiu às tentativas de colagem, não achas?


Quem viu morrer Catarina não perdoa a quem matou”


Eu digo que quem viu o ZECA sofrer com a doença que o matou, não perdoa a quem o abandonou.


http://www.youtube.com/watch?v=NAU_JDGwYHA (http://www.youtube.com/watch?v=NAU_JDGwYHA)


Abraços e beijocas


Cristina



Rui F
Pirralha...tu

Prima

Acho que o Zeca Afonso, no limite, até ao PIDE mais canino conseguia perdoar.

Beijos e abraços


"Pirralha...eu?"

Primo Rui F


O ZECA talvez perdoasse ao PIDE mais canino a que ele próprio foi sujeito quando esteve preso.


Só que o ZECA era solidário com o Povo e por isso nunca perdoou os carrascos deste País.


Como te disse, ele não perdoou a quem matou Catarina.


Como não perdoou aqui


http://www.youtube.com/watch?v=5IAlrXheQ7I (http://www.youtube.com/watch?v=5IAlrXheQ7I)


Priminho, não vamos transformar o ZECA numa Madre Teresa de Calcutá, pois no extremo oposto já há quem o queira identificar como um terrorista do catano, talvez um inspirador do Bin Laden.


Acho que podemos ficar no meio-termo e dizer que o ZECA deixou algumas lições incendiárias


http://www.youtube.com/watch?v=_ZP6V8vaFTk (http://www.youtube.com/watch?v=_ZP6V8vaFTk)


Estou com um humor esquisito?


Pelo que sei, é algo que o ZECA apadrinharia, enquanto os cobardolas que o querem denegrir não passam de uma ninharia… de ratos e ratazanas.


Abraços e beijocas


Cristina



Rui F
Pirralha...tu

Prima

Nem a Madre gera unanimismo.

Mas ainda hoje me pergunto onde andam os companheiros do Zeca (até podia colar aqui uns links do que eles cantavam há 25 anos).

beijos e abraços

deixado a 25/2/12 às 16:32
link | responder a comentário | início da discussão

Das berças
 um homem que sempre dispensou as honrarias e benesses do poder, que nunca esmoreceu durante uma longa noite fascista, que se opôs àqueles que se serviram e subverteram aos ideiais de Abril, que foi solidário, porque cantou a fraternidade, a igualdade, a revolução.

deixado a 23/2/12 às 11:07
link | responder a comentário

PedroM
Passados meses, nada diz o Daniel e o Sérgio sobre o "caso Megaupload"? Tantos posts de indignação acerca de algo bem menos grave e importante, como o "caso Wikileaks" e agora apenas o silêncio cúmplice perante as leis SOPA, PIPA e ACTA?

Só posso perceber este encobrimento de actos totalitários e pidescos por motivações corporativistas e pessoais. Estão reféns do nicho de mercado dos "artistas" ou fazem parte dele? Gostava sinceramente de perceber a razão de tal encobrimento, pois estamos a falar de processos em sede de justiça (?) onde uma das partes pura e simplesmente não é ouvida!
Acabam-se com empresas e sites; prendem-se pessoas apenas pela delação dum bufo duma empresa amiga dos interesses económicos instalados, sem contraditório. Inverte-se completamente o ónus da prova e a presunção de inocência. Mais, são decisões tomadas localmente (neste caso, nos EUA) e postas em prática a nível global, com a conivência de vários estados.

Será que a "liberdade" para uma internet livre de censura eram apenas palavras de circunstância para ludibriar os "targets" que vos seguem, ouvem - e no fundo - vos paga os ordenados?

Em vez de se agitar com o Zeca como se de uma bandeira num comício se tratasse, seria bem melhor imaginar o que pensaria ele sobre isto. Certamente não andaria caladinho.

deixado a 23/2/12 às 12:58
link | responder a comentário | discussão

Toni Bolor
O seu comentário é muito pertinente!



Pode me ter escapado mas, não me lembro de um post que seja sobre essas propostas de lei aqui no arrastão. 
Qualquer pessoa que verdadeiramente acredita na liberdade não pode ficar indiferente às pipas!


O mais curioso é que é no mandato da repulsiva marioneta Obama que estamos assistir aos maiores ataques às liberdades!


Carlos Marques
O Obama já está a retroceder. Os donos da Google, que tanto o apoiaram na eleição, já lhe deram nota de que não é para ir longe de mais na tentativa de controlar a liberdade na net.

Quando ao silêncio do Sr. Daniel Oliveira e do Sérgio Lavos (os outros são como caixeiros-viajantes), é óbvio que desde que a crise se revelou, depois de anos e anos de faz de conta que somos um país rico e a botar sentença sobre os males do mundo como os suecos, dinamarqueses ou alemães, deixou de haver muito espaço e vontade para Médios Orientes, Obamas e tudo o mais que se passa "lá fora"...

deixado a 23/2/12 às 19:07
link | responder a comentário | início da discussão

Muito obrigado por este texto!


Abraço.

deixado a 23/2/12 às 15:07
link | responder a comentário

Wessel26
José Afonso ...
Uma das poucas luzes no meio de tanta escuridão ...
Alguém nobre e honesto cujo únicos desígnios que o moviam era o amor pela música e pelos verdadeiros ideais de Abril ...
Pena que Portugal não dê tempo de antena aos possíveis Zeca Afonsos escondidos neste país que hoje são ostracizados e possivelmente impedidos de aparecer por causa do grande negócio das editoras ...
Hoje ao povo quem transmite mensagens são os manos carreira e o seu papá e pouco mais ...


Em relação ao MegaUpload ...
Podem silenciar uma andorinha mas nunca vão calar a Primavera ...
Se existe grupo organizado que defende mais os direitos dos autores são os Anonymous porque lutam activamente para que o seu produto seja ouvido por todos e não ao sabor das grandes editoras que apenas querem promover o negócio ao invés do criador ...
Basta ver a percentagem que o próprio autor recebe de cada disco que vende que é irrisória ... O grande bolo está nos concertos ao vivo e é nesses que o autor ganha para subsistir ...
Eu pessoalmente sou de acordo que se encontre novas vias para a defesa real dos autores nas mais diversas áreas mas não é proibindo a mensagem que se defende o mensageiro ...


Saudações e continuemos sempre a lembrar o Zeca e o José Mário e o Sérgio e outros que ajudaram à nossa revolução ...
é pena que agora assistamos à desinfecção em super produção ... =) 

deixado a 23/2/12 às 17:24
link | responder a comentário

Bonifacio Milhoes
Obrigado ZECA!

http://www.youtube.com/watch?v=JuRwX-zVkH4 (http://www.youtube.com/watch?v=JuRwX-zVkH4)

deixado a 23/2/12 às 19:24
link | responder a comentário

Toni
"José Afonso era um defensor da revolução armada, da ditadura do proletariado e dos princípios perigosamente lunáticos da esquerda mais radical, glorificando a acção política violenta em várias das suas canções, nas quais propunha, por exemplo, "atirar aos fascistas de rajada". Empenhou-se no PREC ao ponto de se afastar da vida musical e andou envolvido nas demenciais campanhas de "dinamização cultural" do MFA. Cantou no RALIS na noite do 11 de Março, defendeu as arbitrariedades e ilegalidades da Reforma Agrária, esteve com os pára-quedistas de Tancos no 25 de Novembro, apoiou Otelo Saraiva de Carvalho e os presos terroristas do PRP. Só para recordar, agora que se assinalam os 25 da sua morte e muita gente vai associar a palavra "liberdade" ao nome de José Afonso. Um tiro certeiro de Eurico de Barros"

deixado a 23/2/12 às 20:00
link | responder a comentário | discussão

Anónimo
Pois. José Afonso era, e continua a ser, tudo o que muitos não foram, não são e nunca serão. E ainda bem.
 Nos seus poemas e nos seus acordes respira aquilo que há de mais sagrado na vida do Homem em qualquer espaço e em qualquer tempo: a aspiração à DIGNIDADE. Que haja gente que isto não entenda, não me espanta. Nunca me espantará. Afinal, esses são aqueles que vendem o seu irmão por um prato de lentilhas, pois têm no lugar do coração uma pedra e a predação por sentimento. Por isso, não ficarão na História. Eles são o lodo putrefacto que impecilha o nascer do Futuro e a sua derrota será certa, porquanto o Futuro nascerá, quer queiram, quer não queiram.
 Vou agora ouvir o Zeca. Ele tem coisas importantes a dizer-me.

deixado a 23/2/12 às 20:58
link | responder a comentário | início da discussão

Pelo menos em si, parece que acertou em cheio... imbecil!

deixado a 24/2/12 às 00:12
link | responder a comentário | início da discussão

A.R.A
DANIEL OLIVEIRA

Desta sua sentida escrita acerca do nosso mui querido e saudoso trovador da liberdade, destaco 2 frases que enaltecem o Ser livre que era Zeca e entristecem aqueles como eu que se encontram orfãos de quem cantava a alma de um povo participativo e critico socio-culturalmente.

«Sempre livre das tutelas de quem se julgasse dono das lutas dos outros, sempre preso ao dever de nelas participar.»

Se existem verdades absolutas esta é uma delas embora se tenha olvidado de mencionar aqueles que no antes 25 de Abril o achavam um comuna da pior especie e que no pós já exaltavam as suas qualidades de libertário. Uma outra forma de ser ... vampiro.

«25 anos depois, a sua ausência sente-se por sabemos que não nos faltaria nestes tempo de vampiros»

Realmente, onde param os nossos trovadores? Qual o medo que os impede de fazerem da musica uma arma? Os Deolinda lançaram uma musica que foi uma pequena lufada mas, tirando um ou outro "apontamento", onde param os nossos trovadores? Será que nos ficamos pela tragico-comedia dos homens da luta que para dizerem as verdades fazem-no atrás de bonecos ou no reeditar de trovas antigas com uma nova roupagem?

Onde param os nossos trovadores?

Aquele Abraço
A.R.A

deixado a 23/2/12 às 20:56
link | responder a comentário | discussão

Que eu tenha notado, a "lufada" dos Deolinda durou o tempo de eles perceberem quantos contratos perderiam com aquela coisa da "intervenção". Depois foi um vê se te avias a pedir calma a toda a gente...
Felizmente, a mim (e mais alguns poucos), se é verdade que rareiam os contratos para concertos, sobra-me a liberdade de neles cantar tudo o que quero.
Deve ter sido "maleita" que o Zeca me pegou... já que foi ele que me pôs (literalmente) nas cantigas. :-)


A.R.A
SAMUEL

Na mouche, Samuel!

Retirar o factor interventivo á musica é tambem uma forma de estupidificar as massas, torna-las mansas e mirrar a cultura do nosso povo ...  com um português suave e "pimbalienado" com frases feitas, que não façam questionar.

Pois continue Samuel, porque eu fiquei curioso acerca do que tem para nos dizer ... cantando!

Aquele Abraço
A.R.A

ps- Um desafio! Ao invés de escrever faça-se ouvir e traga um amigo tambem.

deixado a 24/2/12 às 16:15
link | responder a comentário | início da discussão

Rui F
Samuel

Queremos músicas. Todas as possíveis até porque as referências vão rareando.

Mas o ARA não deixa de ser pertinente e a verdade é que a "velha" guarda está numa de "anti zeca" - não sob o ponto de vista politico - e acomodou-se.
Por exemplo no 12 de Março, quem apareceu? O Vitorino...se calhar você...

abraço aqui de Évora

deixado a 24/2/12 às 16:49
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador