Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Vergonha

Sérgio Lavos, 24.08.12

 

No meio da enxurrada de trapalhadas governativas que emergiu ontem, houve uma notícia que passou despercebida mas que mostra bem como funciona a comissão liquidatária do país - por vezes também conhecida como Governo. Alguns dias depois de ter saído do país a equipa da Unesco que veio investigar qual o impacto ambiental da construção da barragem do Tua na paisagem protegida do Alto Douro, foi aprovado um incentivo à construção da barragem, no valor de 33 milhões de euros. Isto apesar de há uns meses a ministra Cristas ter garantido que o ritmo iria abrandar para não colocar em perigo a classificação de Património Mundial para a região. Nas costas da UNESCO, tudo volta ao mesmo, e parece que as máquinas voltaram a acelerar e o estaleiro está em plena carburação. 

 

Não sei o que é pior: se a política de construção de barragens errada e que beneficia as empresas do sector - neste caso, a recém sino-nacionalizada EDP; se a mentira deliberada do Estado português a um organismo internacional, a UNESCO; se a mentira da própria ministra Cristas ao povo português; se a construção em si, crime ambiental sem perdão que vai destruir uma das belas paisagens do país, a troco de quase nada - a electricidade que a barragem irá produzir não compensa os milhões que a EDP está a receber do Estado, num regime de PPP ainda pior do que o das SCUT. Uma vergonha inominável.

21 comentários

Comentar post