Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

O horror

Sérgio Lavos, 16.10.12

Enquanto Vítor Gaspar anda a gozar com a nossa cara, milhares de crianças passam fome. É uma história antiga, que se vai repetindo em todas as escolas do país: muitas vezes, a única refeição que as crianças têm é a que a escola oferece, o que contraria as directivas do Ministério da Educação, como ontem explicava uma directora no Prós & Contras.

 

Contudo, nem toda a gente embarca nesta rede de solidariedade informal que está a substituir a função social do Estado. Há criaturas que conseguem ser tão repulsivas como o Gaspar que anda a retribuir ao país os estudos que lhe foram pagos. Conceição Bernardes é a directora do agrupamento Dra. Laura Ayres e decidiu proibir as crianças filhas de pais que não conseguiram pagar as refeições de comerem no refeitório da escola que dirige. Os requintes de malvadez chegaram ao ponto de ela não permitir que uma funcionária do refeitório pagasse a refeição a uma das crianças, tendo esta sido obrigada a sentar-se ao lado dos colegas sem comer. Não há palavras que descrevam alguém que faz uma coisa destas. Ainda assim, podemos tentar dizer-lhe uma ou outra coisa. Os contactos são os seguintes:

 

Agrupamento de Escolas Dra Laura Ayres
Contacto
Morada:
Rua do Forte Novo Quarteira Algarve Portugal
Telefone: 289301863

Fax: 289388541

Mail: gestao.esla@gmail.com 


Adenda: A versão da directora do agrupamento pode ser vista aqui. Não é suficiente para eu mudar de opinião sobre a atitude tomada: não deixar que uma criança de 5 anos - repito, 5 anos - coma junto das outras crianças como forma de represália aos pais por estes não pagarem a dívida é imoral e incompreensível. As crianças não podem ser usadas desta forma instrumental por alguém que é pago para educar. Uma coisa é a relação entre a direcção e os pais - falamos de adultos -, outra é envolver uma criança. Não se justifica, é inadmissível. Se a sra. Conceição Bernardes não percebe esta simples evidência, se calhar não tem mesmo capacidade nem perfil para ocupar o cargo de responsabilidade que ocupa.

102 comentários

Comentar post

Pág. 1/4