Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

O défice público nos EUA está a cair mais depressa do que o previsto, até 4% do PIB

Sérgio Lavos, 16.05.13

Este artigo do Publico espanhol mostra o resultado das políticas keynesianas de Obama, fundadas no investimento público e no apoio à economia, em contraste com o austeritarismo europeu:

"A política de estímulo económico de Obama, que contrasta com a austeridade a qualquer custo imposta pela Alemanha à Europa, está a ter um efeito altamente positivo na economia norte-americana, onde as famílias estão a reduzir o seu endividamento ao mesmo tempo que aumenta a receita fiscal arrecadada pelo Estado.

 

 

O défice público nos EUA está a cair mais depressa do que o previsto, como consequência da reactivação da maior economia do mundo, e o organismo de controlo orçamental do Congresso (CBO, em inglês) calcula que foi reduzido a apenas 4% do PIB (642000 milhões de dólares), partindo dos 7% (1 100 000 milhões de dólares) registados em 2012.

 

Estes números significam uma queda superior em 203 000 milhões de dólares ao que se previa até há três meses, exactamente no momento em que os países da Eurozona estão a entrar no seu período recessivo mais prolongado provocado pelas intenções falhadas de reduzir os défices públicos através de rigorosas políticas de austeridade.

 

 

Para além disso, as política de estímulos públicos à economia aplicada pelo presidente norte-americano, Barack Obama, permitiu que a dívida privada se tivesse reduzido em 110 000 milhões de dólares durante o primeiro trimestre do ano graças a uma clara melhoria da situação financeira das famílias: o número de créditos mal parados para além dos 90 dias diminuiu dos 6,3 para os 6%, de acordo com os dados fornecidos pelo banco da Reserva Federal de Nova Iorque.

 

Agora, o CBO prevê que o défice público dos EUA continuará a cair de forma acelerada, para chegar aos 3,4% no próximo ano, e a apenas 2,1% em 2015. Em larga medida, isto deve-se ao facto do Estado estar a arrecadar mais receita fiscal em consequência dos estímulos económicos: a recuperação gerou, durante o primeiro trimestre, mais 105 000 milhões de dólares do que o previsto em impostos, tanto os que incidem sobre as pessoas como sobre as empresas.

 

A reactivação do mercado imobiliário norte-americano também permitiu que os dois gigantes do crédito à habitação, Fannie Mae e Freddie Mac (actualmente sob controlo governamental depois do resgate com fundos públicos aquando do rebentar da bolha financeira e do subprime) tenham contribuído com 95 000 milhões de dólares para os cofres do estado."

 

(Tradução minha.)

7 comentários

  • Imagem de perfil

    Sérgio Lavos 16.05.2013

    "Mau exemplo"? O "bom exemplo" é a recessão a caminho da depressão, desemprego alto, miséria? Com bons exemplos destes...
    "À custa de quem aforra dólares"? Interessante. São estes que perdem? Mostre lá como.
  • Sem imagem de perfil

    Antonio 16.05.2013

    Se houver alta inflação é obvio que lerpam os aforradores...
  • Imagem de perfil

    Sérgio Lavos 16.05.2013

    Se... se... se... sobre inflação, ler este artigo, sff:


    http://www.washingtonpost.com/blogs/wonkblog/wp/2013/05/16/surprise-inflation-is-too-low-almost-everywhere-on-earth/
  • Sem imagem de perfil

    C Rodrigues 17.05.2013


    Estes pseudo-intelectuais de esquerda querem recorrer às estatísticas como forma de comprovarem as suas ideologias absurdas sem as compreenderem, nem se dão ao trabalho de ver como são calculados estes números.
    Porque em relação à inflação pode-se olhar de duas formas: confiar no método de cálculo oficial e nos números publicados pelo governo de Obama, ou olhar para os preços reais dos bens essenciais e para o embuste que é o método de cálculo utilizado:
    http://www.examiner.com/article/commodity-prices-during-the-obama-years
    http://fellowshipofminds.wordpress.com/2012/01/30/steep-rise-in-food-and-gas-prices-under-obama/
    http://www.forbes.com/sites/greatspeculations/2013/05/10/dont-believe-the-hype-inflation-is-alive-and-kicking-consumers/ (http://www.forbes.com/sites/greatspeculations/2013/05/10/dont-believe-the-hype-inflation-is-alive-and-kicking-consumers/)
    http://www.bankrate.com/finance/personal-finance/is-inflation-higher-than-you-think-1.aspx (http://www.bankrate.com/finance/personal-finance/is-inflation-higher-than-you-think-1.aspx)
    http://www.investopedia.com/articles/07/consumerpriceindex.asp (http://www.investopedia.com/articles/07/consumerpriceindex.asp)
    http://goldsilverworlds.com/gold-silver-general/peter-schiff-reveals-cpi-propaganda-by-calculating-real-price-inflation/ (http://goldsilverworlds.com/gold-silver-general/peter-schiff-reveals-cpi-propaganda-by-calculating-real-price-inflation/)


    A triste realidade é que a publicação dos números oficiais da inflação (CPI) não passa de pura propaganda, ao  jeito dos '5-year plans' soviéticos, tudo para garantir a continuação da agenda keynesiana e socialista da administração Obama. 
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 18.05.2013

    dizes que os outros não "compreenderem, nem se dão ao trabalho de ver como são calculados estes números."

    e depois apresentas uma lista de web-sites manhosos: bankrate.com, goldsilverworlds.com, ..

    ridículo..
  • Sem imagem de perfil

    C Rodrigues 18.05.2013

    'e depois apresentas uma lista de web-sites manhosos: bankrate.com, goldsilverworlds.com'

    Sim, até porque toda a gente sabe que para obter informação 100% credível e imparcial basta ler o Washington post ou, já agora, abrir o pravda, o esquerda.net...

    Amigo os factos estão em todo o lado, basta saber procurar. Agora se você prefere confiar nos 'mainstream media', que apresentam apenas parte da informação, não mostram a história toda e relatam apenas os 'números oficiais', é lá consigo... Já eu confio mais nesses 'sites manhosos' que apresentam factos, números, estatísticas, gráficos... Tudo coisas chatas para quem é de esquerda, eu sei...
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.