Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Corporações

Sérgio Lavos, 29.06.13

Irmão de presidente da Optimus indicado para liderar a AdC.

 

Num país em que são privatizadas empresas públicas que têm lucro com o pretexto de liberalização dos mercados, na prática entregando-se monopólios naturais a lucros privados, sem que os consumidores sintam os resultados dessa liberalização, é natural que se entregue a supervisão da concorrência a um familiar do principal administrador da empresa que está a ser supervisionada.

 

Na realidade, as leis do mercado não se aplicam a determinados sectores da economia. A liberalização do mercado e o fim do controlo estatal do preço dos combustíveis levou a que, em dez anos, Portugal tenha dos preços mais elevados da OCDE; a liberalização do fornecimento de electricidade e de gás natural está a ter exactamente o mesmo efeito - a privatização da EDP contribuiu para que, em dois anos, a factura de electricidade tenha aumentado exponencialmente para a generalidade das famílias e das empresas; e a concorrência entre empresas de comunicações é uma farsa - basta ser um consumidor atento para se perceber a concertação de preços e de serviços, que leva a que paguemos muito mais do que média da OCDE por serviços telefónicos e Internet, sendo a qualidade bastante inferior à média. 

 

A principal lei do capitalismo - a da oferta e da procura - não funciona. Em Portugal, quanto mais oferta existe, mais os preços sobem para o consumidor. Muitas vezes, com pior qualidade. E os sucessivos Governos estimulam e alimentam as corporações que beneficiam deste crony capitalism. O melhor dos mundos é este.

8 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Bolota 30.06.2013

    JgMenos,

    Contas feitas, as sete maiores fortunas em Portugal viram o seu valor conjunto aumentar em 621,14 milhões de euros (Meuro) em apenas seis meses. Se, no final do ano passado, valiam 10,99 mil milhões de euros, hoje estão avaliadas em 11,62 mil milhões. Este ganho é meramente potencial, uma vez que os milionários não venderam as participações.

    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3296576 (http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3296576)

    JgMenos,

    Se mesmo assim não consegues perceber que estás a ser enrabado por meia duzia de habilidosos acavalo no sistema, desculpa, não é cegueira é parvoice.

     
  • Sem imagem de perfil

    JgMenos 30.06.2013

    Oh! Bolota!
    Voltamos sempre ao mesmo!
    Não pode haver ricos? Faz a revolução, carago!
    Há limite para a riqueza particular? Diz-me a partir de quando é que o dinheiro tem que emigrar!
    Queres dizer-me que os primeiros a sair da crise são os ricos? Não sabes que são os primeiros a entrar nela?
    É claro que o que te chateia é que os ricos (mesmo!) entram e saem das crises sem passar necessidades - estavas à espera de quê? Que fossem pobres?
    Vê se te resolves a viver em capitalismo, onde sempre haverá gente ao abrigo de necessidades, o que aliás sempre acontece em todo o lado, ou julgas que ao Lenine e ao Mao alguma vez lhe faltou a sopa quando milhões morriam de fome?
    Põe-te fino!
  • Sem imagem de perfil

    Verblhude 01.07.2013

      Se tivesse  lido aquilo que Almeida  Garret  escreveu  sobre  os  ricos poupava-nos a perdas de tempo  desnecessárias  e  não  debitava   palermices  saloias glorificando a acumulação de riqueza.
     
     
              «E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar à miséria (…) para produzir um rico?»   Almeida Garret.


            
  • Sem imagem de perfil

    JgMenos 01.07.2013

    Dou-lhe de barato que não seja saloio, nem palerma.
    Já lhe basta que veja a realidade de hoje pelo olhos de um político do séc.XIX - seja ele Almeida Garret ou Marx - para ter o bastante com que se preocupar!
  • Sem imagem de perfil

    operário 01.07.2013


    a pobreza existe por oposição à riqueza, quanto maior a riqueza maior a pobreza Isto era verdade no século XlX e é verdade hoje, palerma
  • Sem imagem de perfil

    JgMenos 01.07.2013

    Já agora, porque não?
    "quanto maior a pobreza, maior a riqueza"


    meu grande bronco!
  • Sem imagem de perfil

    operário 01.07.2013

    sim, tótó,
    confundes a estrada da beira com a beira da estrada e depois os outros é que são broncos

    Ouve lá ó Pide reformado: eu li que há uns medicamentos novos que limpam as sinápses entupidas sem provocar danos nas vias urinárias
    Caralho! Compra uma merda dessas e depois comenta!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.