Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

A brincar, a brincar

Daniel Oliveira, 30.07.13

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Carlos Marques 30.07.2013

    Alexandre,


    Está a cair num dos anzóis do Daniel Oliveira: passar a ideia que os ricos em Portugal são diferentes dos ricos na Coreia do Norte, na Suécia ou em Inglaterra, isto é, que há uma desigualdade maior em Portugal entre os ricos e os remediados ou os pobres.


    Ouçam uma canção dos Pulp chamada "Common People".


    A grande desigualdade em Portugal é entre os funcionários públicos, sobretudo os altos e médios funcionários, e os trabalhadores do privado - os ricos são diferentes em todo o lado. 
  • Sem imagem de perfil

    R. Sousa 31.07.2013

    Olhe, Carlos Marques, eu sou funcionário público, engenheiro civil, técnico superior, faço e avalio projectos de saneamento há mais de vinte anos para a comunidade (para si), e ganho mais ou menos 1100 líquidos. A minha mulher, que já foi professora, está desempregada, e este ano, como o ano passado, não vamos de férias. O dinheiro tem de servir para pagar os livros escolares do meu filho e demais despesas. 
    Sempre mantive boas relações com os meus colegas do privado, com quem trabalho também por força das minhas funções, e nunca senti esse azedume de que fala e que parece ser em si um problema sério. Não lhe vou dizer quanto ganham uns e outros, porque não é da sua conta. Se quer saber quanto ganha um colega meu funcionário público na maior parte dos outros paises da Europa, já posso informá-lo, porque há tabelas publicadas, e tirará daí as suas conclusões. 
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.