Quinta-feira, 29 de Junho de 2006
por Daniel Oliveira
«As populações, em geral, têm sabido compreender e aceitar os pequenos decréscimos de comparticipação medicamentosa e os pequenos acréscimos nas taxas moderadoras», disse, segundo o relato do Corta-Fitas, o ministro da Saúde no Parlamento.

Confirmo. Ainda outro dia ouvi, juro por Deus, este diálogo na farmácia:
«Sim, senhora doutora, claro que compreendo que depois da doutora me aviar a receita aqui fique a pensãozinha toda. Ainda outro dia o meu Zé me explicou que teve de haver pequenos decréscimos de comparticipação medicamentosa para reequilibrar as despesas galopantes no Servço Nacional de Saúde. E eu não sou nenhuma analfabeta. E ainda agora estava a vir do hospital com a minha mais velha. A que está agora a trabalhar ali no Pão de Açúcar, a Belinha, está a ver? Ela anda que não pode com as costas. E vinhamos ali do Santa Maria, a descer para Entre-Campos, e ela estava nhã nhã nhã, mais isto e aqueloutro, que está pela hora da morte e onde é que já se viu pagar esta dinheirama para estar cinco minutos com um médico... E eu disse-lhe assim mesmo como lhe estou a dizer a si, juro pela minha falecida mãezinha, senhora doutora: tu ganha-me juízo, Belinha. Então não vês que temos de compreender e aceitar este pequeno acréscimos nas taxas moderadoras. Estamos em tempo de sacrifícios para atingirmos uma desejável saúde orçamental, mulher. Ó queres que a gente não cumpra o Pacto de Estabilidade e Crescimento? É como o teu pai me disse - disse eu a ela -, se não fosse o senhor Correia de Campos este país só ía para trás. É que é assim mesmo como lhe estou a dizer, senhora doutora.»

O que nos vale é este bom povo.

por Daniel Oliveira
link do post | comentar | partilhar

4 comentários:
Daniel Oliveira
Exacto. Pagar para a senhora que tem uma reforma miserável ou os velhos que tem mais problemas de saúde nao morrerem por falta de medicaçao. É a solidariedade estúpidos

deixado a 30/6/06 às 12:40
link | responder a comentário

jl
lição de economia: quanto mais baratos forem os serviços mais todos temos de os pagar. São os impostos estupidos.

deixado a 30/6/06 às 10:06
link | responder a comentário

Popular
Vocês são todos uns más línguas e não sabem português. O ministro referiu-se às populações! Referia-se às populações da Finlândia, da Dinamarca e do Burkina Faso!

deixado a 30/6/06 às 00:22
link | responder a comentário

bom...não se deve incitar à violência, nem aconselhar atirar pedras a fiscais...
mas, a este ministro poder-se-á aplicar-lhe uma carga de porrada?

deixado a 29/6/06 às 23:16
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador