Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Compram-se elogios

Daniel Oliveira, 30.06.06
“A Câmara do Porto decidiu impor regras na atribuição de subsídios, condicionando a sua atribuição à assinatura de um protocolo no qual as instituições ficam impedidas de criticar o município.”
“O primeiro subsídio (15 mil euros) ao abrigo deste novo protocolo foi concedido à Fundação Eugénio de Andrade, que ficou obrigada a "abster-se de, publicamente, expressar críticas que ponham em causa o bom-nome e a imagem do município do Porto, enquanto entidade co-financiadora da actividade da sua representada".” (Público)



Pobre do político que tem de subsidiar o elogio. Rio Rio, que o nosso bom Pacheco Pereira sempre considerou um modelo de autarca, é como qualquer ditadorzeco. Ainda não percebeu que o dinheiro da Câmara não lhe pertence. Pertence aos contribuintes. Aos que gostam dele e aos que não gostam dele.

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2