Quinta-feira, 27 de Maio de 2010
por Bruno Sena Martins



Perante uma estrutura avassaladora como a do Porto, perante um presidente creditado como Pinto da Costa, o erro de Jesualdo foi não ter sido capaz de um mínimo de narcisismo: em momento algum se preocupou em ser uma figura de estilo, jamais se insurgiu publicamente contra os caprichos de uma direcção que cumpriu a irónica tripleta de lhe estilhaçar a equipa em 3 anos consecutivos. Ganhou três títulos e nunca fez menos que os oitavos de final na Champions (soçobrou perante o Shalke numa eliminatória embruxada pelo Manuel (Neuer) e perante o Chelsea em Stamford Bridge, com um frango do Helton), e chegou ainda aos quartos de final onde só perdeu com o Manchester United (o golo do ano de Ronaldo lixou-nos depois do empate em Old Trafford).

Eu teria apostado em Jesualdo por mais uma época, mas entendo que a ingratidão dos adeptos portistas tenha criado um clima anímico insustentável (pergunto aos céus que fazer num período histórico em que  um treinador é avaliado pela qualidade da gola, pela sua telegenia, pela apetência pró-fílmica e pela  capacidade de encarnar uma personagem para cuja consistência caracterológica o plácido adepto esteja pré-disposto (a partir daquilo que vai vendo nas novelas): o sargento mandão, o grisalho de sobretudo, o giraço de camisa, o bronco que subiu a pulso, o totó simpático, o giraço com apetência para seduzir a mulher do adepto, o mandão com risco ao meio, o Tony Ramos, etc.

Jesualdo rescindiu com o Porto e foi convidado para ser director técnico de todo o futebol. Para já, não, diz.   Quer treinar mais 2 ou 3 anos mas é muito provável que volte ao Dragão. Na ordem da tragédia isto é, ainda assim, o mais airoso que se consegue. Na minha maturidade táctica (hoje em dia percebo mais disto que o Toni, que o Valdemar Duarte, que o Rui Santos,  que o João Querido Manha, que o José Eduardo e o que Jorge Baptista juntos), na minha maturidade táctica, dizia,  Jesualdo foi o melhor treinador que vi treinar o Porto a seguir a Mourinho, e como fenómenos metafísicos não são para aqui chamados, cabe reformular: foi o melhor treinador que vi treinar o Porto.

por Bruno Sena Martins
link do post | partilhar

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador