Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arrastão: Os suspeitos do costume.

Sous les pavés, la plage [final]

Daniel Oliveira, 31.05.08

31 de Maio: De Gaulle procede a uma remodelação governamental. Prosseguem, por toda a província, manifestações de apoio ao general. Nesse fim-de-semana, muitos bens e serviços essenciais voltam a estar parcialmente disponíveis. Durante o mês seguinte, verificam-se confrontos violentos: designadamente, ocupação pela polícia, na noite de 6 de Junho, das fábricas Renault de Flins, morte a 10 de Junho do estudante liceal Gilles Tautin, morte a tiro do operário Pierre Beylot a 11 de Junho, nas fábricas Peugeot de Sochaux, morte do operário Henri Blanchet. Na primeira e segunda voltas das eleições legislativas (24-30 de Junho), a maioria governamental alarga-se substancialmente, alcançando quase 80% dos assentos parlamentares.
Fonte

The End

Sous les pavés, la plage [30]

Daniel Oliveira, 30.05.08

30 de Maio: O general De Gaulle anuncia, às 16.45, a dissolução da Assembleia Nacional, recusando demitir-se e anunciando eleições antecipadas para Junho. Ao mesmo tempo, adia o referendo que prometera a 24 de Maio e ameaça recorrer às forças armadas. Nesse mesmo dia, realiza-se nos Campos Elísios uma manifestação de apoio, encabeçada por André Malraux, que reúne mais de 800.000 pessoas.

Sous les pavés, la plage [29]

Daniel Oliveira, 28.05.08

29 de Maio: A manifestação convocada pela CGT reúne 500.000 pessoas em Paris. De Gaulle adia o Conselho de Ministros, criando pânico no próprio governo, e desaparece (saído do palácio do Eliseu às 11.15, só chega à sua casa de Colombey-les-deux-Eglises por volta das 18.30) – deslocara-se em segredo à base francesa de Baden Baden, para obter o apoio militar do general Massu, comandante das tropas francesas na Alemanha. Pierre Mendès-France afirma estar disponível para assumir a chefia de um governo provisório. [Jacques Massu, general para-quedista, conhecido pelo emprego sistemático da tortura durante a guerra da Argélia.]
Fonte

Os mortos


Pierre Beylot e Gilles Tautin



Jan Palach


Martin Luther King


Bob Kennedy


Che Guevara

Sous les pavés, la plage [28]

Daniel Oliveira, 28.05.08

28 de Maio: Demissão do ministro da Educação, Alain Peyrefitte. François Mitterand anuncia a sua candidatura em caso de vacatura da Presidência da República e propõe a constituição de um governo liderado por Pierre Mendès-France – o PCF não apoia. A CGT apela a uma manifestação em Paris para o dia seguinte.
Fonte

Eyes on the Prize-Martin Luther King

Sous les pavés, la plage [27]

Daniel Oliveira, 27.05.08

27 de Maio: Às 07.15, é assinado na Rue Grenelle um acordo entre o governo, o patronato e os sindicatos, que é recusado pelos operários da Renault de Boulogne Billancourt – o acordo prevê, designadamente, o aumento do salário mínimo, a redução dos horários de trabalho e a baixa da idade de reforma.
Fonte
4 documentários sobre Che Guevara: contra, a favor e pelo contrárioTrue story of Che Guevara (90 minutos)
Che Guevara (47 minutos)
Cuba, caminos de revolucion (54 minutos)
El Che: Anatomia de un mito (70 minutos)

Sous les pavés, la plage [26]

Daniel Oliveira, 26.05.08


26 de Maio: São racionados os combustíveis. De Gaulle dá ordens a Jacques Foccart para a organização de uma manifestação de apoio a realizar nos finais de Maio. [Jacques Foccart, mais conhecido pela sua acção neo-colonial em África, tentou criar, em Maio de 68, um movimento estudantil próximo do governo, ao mesmo tempo que se dedicava a "acções especiais".]
Fonte

Sous les pavés, la plage [24]

Daniel Oliveira, 24.05.08

24 de Maio: Continuam os confrontos e as barricadas nas principais cidades francesas. A Bolsa de Paris é atacada por manifestantes. De Gaulle fala ao país (7 minutos) e promete um referendo no prazo de um mês. A noite salda-se com centenas de feridos, um manifestante é morto em Paris e um comissário de polícia em Lião.
Fonte

Sous les pavés, la plage [22]

Daniel Oliveira, 22.05.08


22 de Maio: Cresce a greve geral. A moção de censura contra o governo é derrotada no Parlamento, embora por apenas 11 votos. É retirada a Daniel Cohn-Bendit, que tem nacionalidade alemã, a licença de permanência em França, quando ele está a participar numa manifestação em Amsterdão. Manifestantes atacam a sede do “Comité de Defesa da República”, criado em apoio a De Gaulle e ao governo. As centrais sindicais apelam ao diálogo com o governo.
Fonte